Brasil tinha 22.849 empresas exportadoras e 38.672 importadoras no pré-Covid-19

Brasil tinha 22.849 empresas exportadoras e 38.672 importadoras no pré-Covid-19

Dados são do Cadastro Central de Empresas, que trouxe pela primeira vez informações sobre companhias brasileiras que participam do comércio exterio

AE

Companhias que exportavam empregaram 4,970 milhões de assalariados em 2019

publicidade

No pré-pandemia do novo coronavírus, em 2019, o Brasil tinha 22.849 empresas exportadoras, que representavam 0,4% do total de organizações ativas no País, segundo os dados do Cadastro Central de Empresas (Cempre), que trouxe pela primeira vez informações sobre companhias brasileiras que participam do comércio exterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essas companhias que exportavam empregaram 4,970 milhões de assalariados em 2019, o equivalente a 10,8% do total de ocupados assalariados existentes naquele ano. Já as empresas importadoras respondiam por 0,7% das organizações ativas, o equivalente a 38.672 empresas, com 8,243 milhões de trabalhadores assalariados, 17,8% do total de ocupados nessa condição.

Após três anos consecutivos de perdas de estabelecimentos, o total de empresas e organizações formais ativas no País subiu a 5,239 milhões em 2019, um avanço de 6,1% em relação a 2018, o equivalente a 301.388 negócios a mais.

O IBGE ressalta que uma empresa pode ser simultaneamente exportadora e importadora. Na passagem de 2018 para 2019, mais 2.257 empresas passaram a ser exportadoras no País. No mesmo período, o Brasil ganhou mais 2.428 importadores.

A maior parte das organizações exportadoras era da Indústria (62,5%), seguida pelo Comércio (30,1%) e Serviços (4,8%). Entre as entidades importadoras, 48,3% eram do Comércio, seguido por Indústria (40,0%) e Serviços (8,4%).

Nas organizações exportadoras, a remuneração média mensal era de R$ 4.188,98, 41% maior que a média nacional de R$ 2.975,74. Nas importadoras, o salário médio foi de R$ 4.390,19, 47% superior que a média de todos os trabalhadores.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895