Comércio projeta alta de 4% e 5% no volume de vendas no Dia das Crianças
capa

Comércio projeta alta de 4% e 5% no volume de vendas no Dia das Crianças

Data é marcada por grande procura, principalmente na área de confecções e também brinquedos

Por
Franceli Stefani

Brinquedos é o item mais procurado pelos clientes e lidera a lista das intenções de compra

publicidade

Considerado o segundo melhor mês de vendas do ano nas lojas, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) projeta crescimento entre 4% e 5% no volume de vendas no Dia das Crianças, na comparação com o mesmo período de 2018. A data é marcada por grande procura, principalmente na área de confecções e também brinquedos. Conforme a instituição, mesmo que o atual cenário da economia gaúcha não seja o esperado, o dia faz com que os consumidores saiam em busca de um presente para crianças e adolescentes. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre, por outro lado, apresentou um estudo, realizado pela Assessoria Econômica da entidade, em que mostra que o impacto será de uma movimentação financeira entre 1,7% e 2,7%.

O economista-chefe da CDL da capital, Oscar Frank, disse que as projeções são consistentes com a evolução recente da economia e a retomada gradual. “Acreditamos que os primeiros saques parciais do FGTS, a inflação estável e o efeito defasado da redução na taxa Selic sobre o nível de atividade são os principais elementos positivos no curto prazo”, reforçou. O presidente da FCDL gaúcha, Vitor Augusto Koch, tem o mesmo pensamento, no que se refere a liberação de recursos do fundo de garantia e a queda da Selic. “São fatores que tornam os investimentos menos atrativos e levam muitas pessoas a buscarem a aquisição de bens duráveis como meio de uso do dinheiro que, eventualmente, esteja sobrando. Há também o aspecto emocional da data, com os pais querendo agradar os filhos”, acrescentou.

Brinquedos é o item mais procurado pelos clientes e lidera a lista com 56% das intenções de compra, seguido de roupas, com 21%. A maioria das compras deverá ser paga à vista, sendo 44% e, dinheiro e 31% no cartão de débito. Outros 16%, conforme a pesquisa da CDL, devem comprar com cartão de crédito parcelado. O valor gasto deverá ser de R$ 240,74 para meninos e R$ 213,26 para meninas.

Foi o caso da servidora pública, Luisa Guimarães, 31 anos, que optou por comprar roupas e também um brinquedo – uma boneca que emite diversas frases, para a afilhada, uma menina de 10 anos. “Ela é bem vaidosa, gosta de se arrumar e procura sempre estar na moda. Mesmo novinha, está atenta às tendências, mas também adora brincar”, revelou. De acordo com ela, os preços estão dentro do esperado e há muitas lojas com promoções. “Sou madrinha de um menino, comprei um tênis para ele há duas semanas. Há muitas liquidações, mas é preciso pesquisar. Nunca costumo comprar de primeira”, ponderou. Ela gastou cerca de R$ 230 nos presentes.