Conflitos regionais provocam queda de tráfego de passageiros na América Latina

Conflitos regionais provocam queda de tráfego de passageiros na América Latina

Dados são da Associação Internacional de Transporte Aéreo

AE

Mundialmente, demanda cresceu 3,4% com relação ao mesmo mês de 2018

O tráfego de passageiros no mundo teve alta de 3,4% em outubro quando comparado ao mesmo mês do ano anterior, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Em setembro, o crescimento havia sido de 3,9% e a leve diminuição foi causada pelo menor número de voos em mercados domésticos. Em outubro, a capacidade (medida em assentos por quilômetros, o chamado ASK) aumentou em 2,2% e a taxa de ocupação chegou a 82%, um recorde para o mês.

"O crescimento de tráfego continua a ser retraído quando comparado aos níveis de crescimento de longo prazo históricos, refletindo a atividade econômica moderada em alguns mercados-chave e o nível de confiança fraco nos negócios", afirmou o diretor geral e presidente executivo da Iata, Alexandre Juniac.

"No entanto, o fato de o tráfego estar em crescimento é positivo e a indústria continua a fazer um trabalho excelente de maximizar a eficiência de seus ativos, como mostra a taxa de ocupação." A demanda internacional de passageiros cresceu 3,2% em outubro, comparado ao mesmo mês do ano anterior.

Com exceção da América Latina, todas as regiões registraram crescimento, lideradas pelas companhias aéreas do Oriente Médio. A capacidade aumentou 1,6% e a taxa de ocupação 1,3 ponto porcentual, para 81%.

As companhias aéreas latino-americanas tiveram queda na demanda de 0,6% em outubro, na mesma base de comparação. Foi o desempenho mais fraco em nove anos. Em setembro, a alta havia sido de 0,9%.

A deterioração das condições econômicas e o aumento dos conflitos sociais e políticos em alguns dos principais países da área contribuíram para o desempenho. A capacidade caiu 2,3% e a taxa de ocupação cresceu, porém, em 1,4 ponto porcentual, para 81,4%.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895