Dívida Bruta do Governo Geral piora e fecha em saldo negativo de R$ 5,5 trilhões
capa

Dívida Bruta do Governo Geral piora e fecha em saldo negativo de R$ 5,5 trilhões

Percentual de endividamento em janeiro chegou a 76,1% do PIB

Por
Estadão Conteúdo

publicidade

A situação da Dívida Bruta do Governo Geral - que abrange governo federal, governos estaduais e municipais, excluindo o Banco Central e as empresas estatais - piorou em janeiro. O mês fechou com saldo negativo de R$ 5,550 trilhões, ou 76,1% do Produto Interno Bruto (PIB). O percentual, divulgado pelo Banco Central, é maior que os 75,9% de dezembro.
No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB.

A Dívida Bruta do Governo Geral é uma das principais referências para avaliação, por parte das agências globais de rating, da capacidade de solvência do País. Na prática, quanto maior a dívida, maior o risco de calote por parte do Brasil. O setor público consolidado teve gasto de R$ 37,155 bilhões com juros em janeiro, após esta despesa ter atingido R$ 24,920 bilhões em dezembro, informou há pouco o Banco Central.

O governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 32,603 bilhões. Os governos regionais registraram gasto de R$ 4,022 bilhões e as empresas estatais, de R$ 530 milhões.

No período de 12 meses até janeiro, as despesas com juros atingiram R$ 383,584 bilhões, equivalente a 5,26% do PIB.