Demanda por crédito cai 8% em novembro com decepção por Black Friday

Demanda por crédito cai 8% em novembro com decepção por Black Friday

Recuo mensal contrariou as expectativas de que as promoções serviriam de alavanca para o indicador

AE

Busca por financiamento no Brasil caiu 8% em novembro, na comparação com outubro

publicidade

A busca por financiamento no Brasil caiu 8% em novembro, na comparação com outubro (alta de 8%), interrompendo uma série de seis aumento consecutivos, segundo o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC). Em relação a novembro de 2020, contudo, houve crescimento de 13%.

O recuo mensal contrariou as expectativas de que as promoções da Black Friday serviriam de alavanca para o indicador de crédito. "Temos um movimento sazonal aqui, porque no passado também houve uma leve queda em novembro em relação a outubro", afirma o diretor de Produtos e Sucesso do Cliente da Neurotech, Breno Costa. De todo modo, acrescenta, as promoções do varejo que antecedem as vendas natalinas não tiveram efeito relevante como o esperado.

"Na comparação anual a tendência de alta foi mantida e sempre fica a esperança do Natal. A prévia de dezembro já dá sinais de desempenho positivo", adianta Costa. No confronto com novembro do ano passado, o crescimento do índice de crédito foi puxado pelo setor de serviços, com avanço de 142%.

Já em relação a outubro de 2021, o varejo foi destaque, ao apresentar alta de 11%. Por segmento, os maiores incrementos foram registrados em Eletroeletrônicos (51%) e Outros (79%). Supermercados tiveram aumento de apenas 1%. Vestuário, Móveis e Lojas de Departamento caíram 5%, 7% e 13%, respectivamente. Já a demanda por crédito no setor de bancos caiu 4% em novembro.

A Neurotech ressalta que o adiantamento do 13º salário também leva à redução da necessidade de crédito. "É um movimento sazonal esperado pelo segmento de bancos e financeiras. Estamos vendo a realidade bater à porta e a demanda se arrefecer, mas é esperada uma retomada a partir de janeiro, o que também é um movimento sazonal", explica Costa.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895