Desemprego sobe para 12% em janeiro e atinge 12,7 milhões, diz IBGE

Desemprego sobe para 12% em janeiro e atinge 12,7 milhões, diz IBGE

Índice é maior do que o registrado no fim do ano passado, quando a taxa foi de 11,6%.

Correio do Povo

Pandemia de Covid-19 reforçou a histórica desigualdade no mercado de trabalho

publicidade

A taxa de desemprego no Brasil aumentou para 12% no trimestre móvel encerrado em janeiro, atingindo 12,7 milhões de pessoas, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice subiu 0,4 ponto percentual em relação ao trimestre de outubro a dezembro 2018: o País fechou o ano passado com desocupação em 11,6%. De acordo com o IBGE, a população a ocupada totaliza 92,5 milhões. Os dados refletem um movimento comum de início de ano, porque historicamente muitos trabalhadores temporários são dispensados neste mês.

• Começar 2019 empregado: a resolução de Ano Novo de centenas de pessoas em Porto Alegre

No trimestre de novembro de 2018 a janeiro de 2019, havia aproximadamente 27,5 milhões de pessoas subutilizadas no Brasil. Este contingente apresentou estabilidade, ou seja, sem variação significativa, frente ao trimestre de agosto a outubro de 2018, ocasião em que a subutilização foi estimada em 27,3 milhões. O contingente de pessoas subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas (6,8 milhões) ficou estável em relação ao trimestre anterior.

O número de empregados no setor privado com carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos) totaliza 32,9 milhões de pessoas. Já o número de empregados sem carteira assinada é de 11,3 milhões. A categoria dos trabalhadores por conta própria (23,9 milhões) cresceu 1,2% na comparação com o trimestre anterior (mais 291 mil pessoas) e 3,1% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Rendimento 

O rendimento médio real habitual (R$ 2.270) cresceu 1,4% frente ao trimestre anterior e ficou estável em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A massa de rendimento real habitual (R$ 205 bilhões) ficou estável em ambas as comparações.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895