Em busca de inovação e novas tecnologias, empresas firmam parceria no Rio Grande do Sul

Em busca de inovação e novas tecnologias, empresas firmam parceria no Rio Grande do Sul

"RS que Inova” visa à transformação da Região Metropolitana, Serra e Norte a partir do fortalecimento do ecossistema de inovação do Estado

Felipe Samuel

Instituto Hélice, Instituto Caldeira e Aliança Empresarial Norte/RS firmaram nesta quinta-feira, em Porto Alegre, um termo de cooperação

publicidade

As novas tecnologias e as novas formas de gestão são os grandes desafios enfrentados por empreendedores de todo mundo. Com objetivo de fomentar ações de capacitação e inovação no Rio Grande do Sul, Instituto Hélice, Instituto Caldeira e Aliança Empresarial Norte/RS firmaram nesta quinta-feira, em Porto Alegre, um termo de cooperação. O “RS que Inova” visa à transformação da Região Metropolitana, Serra e Norte a partir do fortalecimento do ecossistema de inovação do Estado. 

Ao detalhar as ações conjuntas entre as entidades, como capacitações, missões internacionais e eventos, o presidente do Instituto Caldeira, Pedro Freitas Valério, afirma que as coisas continuam mudando 'cada vez mais de forma complexa', com novas economias, novas formas de gestão e novos modelos de negócios. "Não é uma iniciativa que vai salvar o Estado, não tem essa pretensão de ser o salvador da pátria", destaca.

Conforme Valério, a parceria nasce da inquietude das empresas e de um sonho coletivo de 'construir um ambiente cada vez mais pujante', buscando um novo jeito de pensar. "Queremos fazer transformações concretas e propositivas em nosso Estado, aproximando e conectando todos aqueles que são apaixonados por inovação e por esse propósito", observa. Para o presidente do Instituto Hélice, Daniel Ely, em dois anos e meio o Estado ganhou espaço no 'mapa de ecossistemas de inovação no Brasil'. "O RS tem tudo que um ecossistema de inovação precisa, mas não tinha nada há pouco tempo", ressalta.

Ao destacar o trabalho desenvolvido com as start ups no Estado, Ely afirma que 'uma nova lógica de pensar exige uma nova forma de agir. "Hoje somos um dos principais ecossistemas do Brasil", completa. A diretora executiva da Aliança Empresarial Norte/RS e do hub de inovação da IMED, Márcia Capellari, afirma que as empresas estão unindo esforços para trazer nova ideias e construir um ambiente colaborativo. O secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS, Luís Lamb, avalia que o RS pode construir um movimento cultural de inovação.

Para Lamb, é preciso mudança da forma de pensar das pessoas, das organizações e da sociedade. "É preciso construir inovação em escala, não posso ter apenas uma empresa que se enxerga inovadora e as demais concorrentes que não tenham condições de enxergar possibilidade de crescimento", frisa. "Não temos apenas um hub de inovação, temos muitas empresas, grande número de apoiadores desse movimento", completa.

As empresas

O Instituto Caldeira é um hub que reúne iniciativas e parceiros ligados à nova economia, conectando empresas, universidades, startups e diferentes interessados na transformação digital dos negócios e no fomento do ecossistema gaúcho. Conta com 42 grandes empresas e tem o propósito de fazer transformações concretas e positivas no RS, promovendo a inovação, conectando todos que são apaixonados pelo tema.

O Instituto Hélice, com instituições de ensino e poder público, articula iniciativas que fomentem e consolidem o ecossistema de inovação. E oferece processos estruturados de inovação aberta para seus associados, proporcionando conexão com novas tecnologias para melhoria operacional, experiências para transformação cultural e oportunidades para novas receitas.

O programa Aliança Empresarial Norte/RS faz parte das ações do Hub de Inovação da IMED, idealizado para empreendedores e líderes de alta performance dos mais diferentes segmentos de mercado, que buscam impactar positivamente a vida das comunidades, fortalecendo o desenvolvimento econômico e social, com foco na transformação cultural e digital para inovação no RS.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895