Engenharia da Sociedade de Engenharia do RS faz live sobre a exigência do Programa de Integridade

Engenharia da Sociedade de Engenharia do RS faz live sobre a exigência do Programa de Integridade

Evento Bom Dia da Sergs recebeu a apresentação da Plataforma Be Compliance

Christian Bueller

publicidade

Em mais uma edição do seu tradicional evento Bom Dia Engenharia, nesta terça-feira, a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs) recebeu a apresentação da Plataforma Be Compliance. Por videoconferência, o sócio-fundador da iniciativa, Cyro Diehl, explicou e demonstrou o funcionamento da ferramenta digital que visa resolver de maneira simples, eficaz e econômica a implantação do Programa de Integridade exigido por legislações federais e estaduais.

Este programa foi estabelecido pela lei 15.228 de 25 de setembro de 2018, no qual as empresas devem mitigar os riscos de irregularidades, por meio de mecanismos de auditoria e incentivos a denúncias. Com a plataforma, Diehl pretende mais do que somente evitar corrupções de todo tipo nas corporações.

“Veio a exigência governamental de um programa de integridade, mas eu percebi que podia fazer do limão uma limonada, fazer algo positivo para as empresas”, disse o empreendedor.

O termo compliance vem do inglês “to comply”, que significa estar em conformidade, neste caso, garantir o cumprimento dos atos, regimentos, normas e leis estabelecidos interna e externamente.

“Todo gestor tem um sonho: gostaríamos que os comportamentos de colaboradores, parceiros e terceiros se portassem como donos da empresa. Não desperdiçar uma borracha, como ensinamos a nossos filhos em casa”, contou Diehl.

Para isso, ele orientou que as corporações definam suas políticas, estabeleçam valores e costumes e treinem seus colaboradores. “Tem que capacitar, não funciona por osmose. E é importante, ainda, que se dê voz a estas pessoas, para que possam reportar quaisquer desvios. A partir daí, os riscos são definidos e gerenciados”.

Segundo Diehl, são três fatores que podem destruir uma empresa. “Não ter a cultura correta, trazer danos à reputação e, claro, multas que afetem a capacidade financeira e o patrimônio”.

O presidente do Sergs, Luís Roberto Ponte, destacou o apoio da entidade à iniciativa, que já tem clientes como bancos e empresas de tecnologia no Estado, assim como em São Paulo, Paraná, e além do Distrito Federal.

“Queremos ser um braço direito para implementação deste programa. Ser um bunker de divulgação das tuas ideias, muito pelo que elas conduzem. Vai ajudar as empresas”, declarou Ponte.

Um novo encontro virtual deverá unir Diehl e Sergs para tratar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895