Exportações da indústria no RS têm queda de 9,3% em comparação com abril passado
capa

Exportações da indústria no RS têm queda de 9,3% em comparação com abril passado

Volume de negócios somou US$ 893 milhões

Por
Correio do Povo

Segundo a Fiergs, crise na Argentina afetou os negócios no Estado

publicidade

As exportações da indústria gaúcha, com um total de US$ 893 milhões comercializados, sofreram uma forte queda em abril (-9,3%) na comparação com o mesmo mês do ano passado. Apenas quatro dos 23 setores que registraram algum embarque para outros países no mês, expandiram suas vendas: Celulose e papel (38,6%), Químicos (5%), Tabaco (4,8%) e Bebidas (100%).

O resultado de abril acompanha a tendência verificada ao longo de 2019, pois no fechamento do trimestre de janeiro a março, ocorreu uma redução de 5,2% nas exportações. “A crise econômica argentina continua contribuindo para as perdas gaúchas. O vizinho sul-americano é o terceiro principal destino de nossas vendas. Em abril, a Argentina reduziu em mais de 50% as compras de produtos daqui”, destaca o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry. 

Se quatro segmentos registraram aumento nas exportações, por outro lado, 12 recuaram em abril, com mais intensidade no setor de Alimentos (-15,9%), Máquinas e equipamentos (-21,5%) e Veículos (-31,7%). Apesar do recuo em alimentos pela primeira vez em 37 meses, todas as mercadorias do complexo da carne retomaram o crescimento nas exportações. A queda na produção de proteína animal na China causada pela peste suína pode indicar o início de uma recuperação do setor, aponta a FIERGS. Já as perdas sofridas por veículos e máquinas e equipamentos também são consequência do encolhimento do maior mercado comprador destes setores, a Argentina. 


Ao mesmo tempo, as importações do Estado, que alcançaram US$ 528 milhões, também caíram em abril, pela terceira vez consecutiva em 2019. A queda foi generalizada entre as grandes categorias: Bens intermediários (-36,1%), Bens de consumo (-47,7%), Combustíveis e lubrificantes (-96,4%) e Bens de capital (-4,4%). A redução de 45,3% nas compras de insumos industriais elaborados (-US$ 142 milhões), especialmente nafta para petroquímica, foi determinante para a baixa nas importações. 

Acumulado

De janeiro a abril, as exportações acumuladas da indústria gaúcha (US$ 5,5 bilhões) sofreram uma retração de 5,9% na comparação com o mesmo período de 2018. Desconsiderando o registro de plataformas de petróleo no âmbito Repetro, o setor secundário assinalou queda de 2,3%. Por sua vez, o montante importado pelo RS atingiu US$ 2,9 bilhões, decréscimo quadrimestral de 12,8% ante o mesmo período de 2018.