G20 promete evitar barreiras comerciais "inúteis" pelo coronavírus
capa

G20 promete evitar barreiras comerciais "inúteis" pelo coronavírus

Volume do comércio internacional registrará "retrocessos de dois dígitos" em quase todas as regiões do mundo, segundo a OMC

Por
AFP

G20 promete evitar barreiras comerciais inúteis pelo coronavírus


publicidade

O G20 prometeu nessa quinta-feira (14) que evitará impor barreiras comerciais "inúteis" a produtos essenciais - como alimentos - durante a pandemia da Covid-19, depois que o FMI e a OMC pediram aos países do grupo que não aproveitem a situação para tomar medidas protecionistas.

A pandemia abalou bastante a economia e o comércio mundiais e gerou temores de uma recessão sem precedentes desde a Grande Depressão de 1930. O volume do comércio internacional provavelmente registrará "retrocessos de dois dígitos" em quase todas as regiões do mundo, afirmou a Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os ministros de Comércio e Investimento do G20 observaram que, embora sejam necessárias, as restrições sobre produtos médicos vitais e outros itens essenciais devem ser "proporcionais, transparentes e temporárias", e não constituir "barreiras inúteis ao comércio, ou uma interrupção nas redes de abastecimento".

Após uma reunião virtual organizada pela Arábia Saudita, que atualmente ocupa a presidência do grupo, os ministros também se comprometeram a "se abster de introduzir restrições à exportação de produtos agrícolas" e evitar "armazenamento de resíduos de alimentos".

No mês passado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a OMC manifestaram preocupação com as interrupções que afetam as cadeias de suprimentos, devido a restrições de exportação. Essas restrições limitam o comércio de produtos médicos e de bens alimentícios essenciais.


Ambas as organizações pediram aos governos que evitem impor esse tipo de restrição, considerando que, no longo prazo, elas podem prolongar a crise econômica e de saúde e afetar muito gravemente os "países mais pobres e vulneráveis".