Juro do rotativo do cartão cai em maio a 329,6% ao ano, mostra BC

Juro do rotativo do cartão cai em maio a 329,6% ao ano, mostra BC

Juro médio total cobrado pelos bancos nos cartões caiu 6,5 pontos porcentuais de abril para maio

AE

Juro médio total cobrado pelos bancos nos cartões caiu 6,5 pontos porcentuais de abril para maio

publicidade

Em meio às dificuldades das famílias para fechar as contas durante a pandemia do novo coronavírus, o juro médio total cobrado pelos bancos no rotativo do cartão de crédito caiu 6,5 pontos porcentuais de abril para maio, informou nesta segunda-feira o Banco Central. A taxa passou de 336,1% para 329,6% ao ano.

Os números são influenciados pelos efeitos da segunda onda da pandemia de Covid-19, que voltou a colocar em isolamento social parte da população e reduziu a atividade das empresas. O rotativo do cartão, e o cheque especial, é uma modalidade de crédito emergencial, muito acessada em momentos de dificuldades.

No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro passou de 165,7% para 164,4% ao ano. Considerando o juro total do cartão de crédito, que leva em conta operações do rotativo e do parcelado, a taxa passou de 65,5% para 62,0%.

Em abril de 2017, começou a valer a regra que obriga os bancos a transferir, após um mês, a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, a juros mais baixos. A intenção do governo com a nova regra era permitir que a taxa de juros para o rotativo do cartão de crédito recuasse, já que o risco de inadimplência, em tese, cai com a migração para o parcelado.

Atualmente, porém, o risco de inadimplência aumentou, justamente porque muitas famílias estão enfrentando redução de renda, na esteira da pandemia.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895