Mercado da construção civil mantém trajetória de aquecimento

Mercado da construção civil mantém trajetória de aquecimento

Segundo o presidente do Sinduscon-RS, a procura por imóveis é bastante significativa

Gabriel Guedes

Sinduscon-RS comemora mercado em alta na construção civil no Estado

publicidade

A construção civil retomou as atividades em 10 de agosto e apesar de restrições devido aos protocolos de prevenção ao coronavírus, o mercado segue em alta, segundo avaliação do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS). Sem mudanças significativas nas medidas, o setor vive um período de estabilidade nas suas operações, o que está sendo “extremamente positivo”, segundo o presidente da entidade, Aquiles Dal Molin Junior, colocando o segmento numa posição equivalente à do pré-pandemia.

“Há uma procura bastante significativa por imóveis. Vendas estão acontecendo. Em termos de mercado, está muito bom. Em produção, praticamente não se tem mais restrições da pandemia”, aponta.

O cenário que se criou com a pandemia, acabou ainda favorecendo o mercado, em uma combinação de novas demandas de clientes, acesso facilitado ao crédito e necessidade de diversificação de investimentos. “A pandemia forçou as pessoas a entenderem que deveriam melhorar a qualidade de vida. Aí depois, junto a este desejo, veio a questão do financiamento imobiliário, com o crédito sendo muito facilitado e com bancos privados acompanhando os públicos na menor burocracia e juros mais baixos. Soma-se ainda às aplicações financeiras de renda fixa, que não estão sendo atrativas, o que torna os imóveis mais atrativos na expectativa de um aquecimento do mercado em 2021”, explica Junior.

Um dos legados deixados pela pandemia, foi a digitalização do processo de aquisição do consumidor. Hoje é possível conhecer um imóvel virtualmente e praticamente encaminhar a compra pela web. “A virtualização das vendas está tendo um bom resultado. Está tendo uma procura muito grande. Mas ainda a venda efetiva acaba não sendo virtual, como as assinaturas dos contratos”, resume.

Outra preocupação da construção civil era o temor de um retrocesso nas medidas de prevenção da Covid-19, voltando a restringir as atividades, o que não aconteceu até o momento. Mas para evitar novos contratempos, o presidente do Sinduscon garante que as associadas não têm relaxado nos protocolos para a doença. “Continuamos com muito rigorismo nos protocolos de prevenção da Covid. E estamos tendo uma baixíssima quantidade de casos”, assegura.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895