Produção mundial de automóveis caiu 16% em 2020

Produção mundial de automóveis caiu 16% em 2020

Dados foram divulgados pela Organização Internacional de Construtores de Automóveis (OICA), nesta quinta-feira

AFP

Produção mundial de automóveis caiu 16% em 2020

publicidade

A produção mundial de automóveis caiu 16% em 2020, voltando aos níveis de 2010, com 78 milhões de veículos a menos - informou a Organização Internacional de Construtores de Automóveis (OICA), nesta quinta-feira. Com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19, a indústria automobilística atravessou no ano passado "a pior crise de sua história", disse o presidente da OICA, Fu Bingfeng, em um comunicado. "O ano 2020 anulou o crescimento dos últimos dez anos", acrescentou.

A produção de carros caiu 21% na Europa; 20%, na América do Norte; e 30%, na América do Sul. A Ásia, que representa mais da metade da produção mundial, resistiu melhor, com uma queda de 10%. A China, em particular, "recuperou-se muito rapidamente depois de ter sido duramente golpeada no início de 2020", completou a OICA. A queda das fábricas chinesas se limitou a 2% no ano.

A crise sanitária de 2020 chegou depois de um 2019 em leve desaceleração, com 92,2 milhões de carros, caminhões e ônibus fabricados (-5% em um ano). Com os problemas de fornecimento de peças enfrentados pela indústria, especialmente nos semicondutores, a produção na primeira metade de 2021 também pode ser lenta.

Veja Também

Em termos de vendas, em 2020 os fabricantes registraram uma queda de 12% em nível mundial, um resultado melhor que o previsto, já que inicialmente temiam uma queda de 20%. "Os últimos meses de 2020 mostraram uma recuperação gradual do mercado", destacou Fu.

No entanto, a OICA observa grandes diferenças nas vendas por países, com fortes quedas de 20%-30% nos principais mercados, mas uma redução limitada no maior mercado do mundo, China (-2%), e um aumento na Coreia do Sul (+6%). A Turquia também se recuperou bem após dois anos de fortes quedas em 2018-2019.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895