RS tem pior desempenho industrial do País na comparação com 2016
capa

RS tem pior desempenho industrial do País na comparação com 2016

Produção gaúcha teve queda de 5% em setembro de 2017, indicou IBGE

Por
Correio do Povo

Apesar de recuos, setor industrial no RS mantém resultado positivo entre janeiro e setembro

publicidade

Influenciada pelo setor de alimentos e celulose, a produção industrial gaúcha teve queda de 5% em setembro de 2017, se comparado ao mesmo mês do ano anterior. Com o resultado, o Rio Grande do Sul é o Estado com pior desempenho industrial no período, seguido pelo Pará (-4,1%). Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Se comparado a agosto deste ano, a produção indistrial gaúcha teve queda de 1,1%. No trimestre fechado em setembro, o recuo foi de 1,3%, sendo que no trimestre anterior o desempenho tinha sido positivo (2%). Apesar dos resultados negativos, no acumulado de janeiro a setembro, a produção industrial gaúcha cresceu 0,9%.

Trimestre tem taxa mais elevada desde 2013

Na média do País, o setor industrial cresceu 3,1% no terceiro trimestre de 2017, a taxa positiva mais elevada desde o segundo trimestre de 2013, quando avançou 5,1%.

Houve ainda aumento no ritmo de produção na passagem do segundo trimestre para o terceiro trimestre em 11 dos 15 locais pesquisados, com destaque para a Bahia (de -6,3% no segundo trimestre para 5,6% no terceiro trimestre), Mato Grosso (de -2,7% para 7,4%), São Paulo (de -0,2% para 5,4%), Paraná (de 1,9% para 6,8%) e Goiás (de -1,4% para 3,5%).

Por outro lado, houve desaceleração no ritmo de crescimento do Espírito Santo (de 5,0% no segundo trimestre para 0,2% no terceiro trimestre), além de perda relevante no Rio Grande do Sul (de 2,0% para -1,4%).

Em São Paulo, a alta de 5,4% na indústria local no terceiro trimestre foi mais acentuada desde o segundo trimestre de 2013, quando tinha crescido 9,1%.

O resultado foi puxado pela maior produção de derivados da cana-de-açúcar e de veículos automotores, tanto de bens de capital para meios de transporte como de automóveis. O parque industrial paulista responde por 33% de toda a indústria brasileira.