"Sei que é pouco", diz Bolsonaro sobre voucher de R$ 1 mil para caminhoneiros

"Sei que é pouco", diz Bolsonaro sobre voucher de R$ 1 mil para caminhoneiros

PEC que cria auxílio aos caminhoneiros entre julho e dezembro deste ano, foi aprovada no Senado e segue para a Câmara

R7

Plenário do Senado aprovou as mudanças nesta quinta-feira

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro avaliou, em live desta quinta-feira, que a proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria auxílios para caminhoneiros ainda tem um valor baixo. O texto, aprovado no Senado nesta mesma noite, institui um auxílio mensal à categoria no valor de R$ 1.000 mensais, entre julho e dezembro deste ano.

Bolsonaro fez o comentário enquanto elencava as mudanças da PEC. “O Auxílio Brasil vai de R$ 400 para R$ 600. O auxílio para o caminhoneiro é de R$ 1.000. Sei que é pouco, que os caminhoneiros gastam bastante combustível, mas é uma ajuda. Também vamos dobrar o valor do vale gás e vem mais coisa”, disse.

O plenário do Senado aprovou as mudanças nesta quinta-feira. O valor a ser gasto pela União para dar os benefícios é estimado em R$ 41,2 bilhões, sendo R$ 5,4 bilhões para o voucher aos caminhoneiros. O governo estima que quase 900 mil profissionais dessa categoria sejam beneficiados. A matéria segue para a análise da Câmara dos Deputados.

Na live, o presidente também comentou a recente aprovação no Congresso do teto do ICMS de combustíveis. “Sancionamos um projeto de lei que torna o combustível item essencial. Governadores já começaram a colocar em prática essa redução do imposto. Tem lugar que está 35% de ICMS e vai para 17%”, calculou.

Bolsonaro elogiou a articulação de Arthur Lira para aprovação do projeto e criticou o voto contrário dos senadores do PT. “Todos votaram contra a redução do ICMS e hoje estão vendo a gasolina cair em média R$ 1. E o PT foi contra isso. O governador do Rio de Janeiro disse que, amanhã, cai em média R$ 1,30 o preço da gasolina”, levantou.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895