Seminovos mais caros defasam tabela Fipe na maioria das regiões do Brasil, referência do setor

Seminovos mais caros defasam tabela Fipe na maioria das regiões do Brasil, referência do setor

Somente os Estados da região Sul apresentaram uma variação percentual abaixo de duas vezes o preço de tabela

R7

Preço dos carros de até R$ 120 mil tiveram variação 100% maior do que a tabela Fipe entre 2019/2020

publicidade

A recente disparada no preço dos automóveis e motocicletas usadas no Brasil ocasionada pela desvalorização do real e a falta de insumos nas indústrias resultou na defasagem da tabela Fipe, referência para o setor automotivo.

De acordo com um estudo divulgado pela Webmotors Autoinsights, a tendência de alta começou em maio do ano passado. Desde então, os automóveis chegaram a valorizações de até 8,08% de aumento e as motos a até 11%. E as tendências seguem em alta.

O estudo, feito com base nos classificados de veículos, mostram que os automóveis de até R$ 120 mil foram os mais impactados pelo cenário, com um aumento maior que 100% na variação acima da Fipe de 2019-2020.

A movimentação fez com que os anunciantes reajustassem os preços em cerca de 2% para adequar os veículos aos valores de mercado. As maiores alterações ocorrem entre os carros avaliados em mais de R$ 60 mil, cuja variação média foi de 2,2%.

Regiões

Ao analisar a variação entre o aumento na tabela Fipe e o praticado no mercado, percebe-se que a maior variação média é no Sudeste, em que a alta percentual nos anúncios ficou quase cinco vezes maior que a alta da tabela Fipe.

No Centro-Oeste, a diferença média ficou em quase quatro vezes, enquanto no Norte e Nordeste, a relação é pouco superior a três vezes. Somente os Estados da região Sul apresentaram uma variação percentual abaixo de duas vezes o preço de tabela.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895