"Todas as alternativas estão sobre a mesa", diz Bolsonaro sobre nova CPMF

"Todas as alternativas estão sobre a mesa", diz Bolsonaro sobre nova CPMF

Segundo presidente, governo só aceitará criar um imposto se outro tributo for extinto

AE

Segundo presidente, governo só aceitará criar um imposto se outro tributo for extinto

publicidade

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta segunda-feira, que "todas as alternativas estão na mesa", quando questionado sobre possível volta de um imposto sobre transações financeiras, nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O governo só aceitaria criar um imposto se outro tributo for extinto, disse o presidente. "Nós não queremos criar nenhum novo tributo. A não ser que seja para extinguir outros e, assim mesmo, colocado junto à sociedade, para ver qual a reação da sociedade, a gente vai levar adiante essa proposta ou não."

Bolsonaro afirmou que "nada vai ser feito" se o governo tentar tirar do papel uma reforma tributária "ampla, geral e irrestrita", que mexa em impostos federais, dos Estados e dos municípios. O presidente declarou que tem usado o termo "simplificação de impostos", em vez de reforma tributária em conversas com o ministro da Economia, Paulo Guedes. "Se nós quisermos fazer uma reforma tributária ampla, geral e irrestrita, envolvendo os Poderes, né, Executivo Federal, (tributos) estaduais e municipais, não vai ser feito nada. Tenho falado com Paulo Guedes (a) palavra simplificação de imposto. E focar nos impostos federais", disse Bolsonaro.

As afirmações de Bolsonaro foram feitas após reunião do presidente com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Bolsonaro disse a jornalistas que conversará com Guedes antes de definir a data para envio do projeto sobre "simplificação de impostos". "Ele (Guedes) é o dono da máquina nesse sentido", apontou. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895