Volume de serviços recua em junho e tem pior resultado do ano
capa

Volume de serviços recua em junho e tem pior resultado do ano

Setor registrou queda de 1% em comparação ao mês anterior

Por
R7 e AE

Em comparação a junho de 2018, índice teve queda de 3,6%

publicidade

O volume de serviços recuou em junho no Brasil, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor registrou queda de 1% em comparação ao mês anterior, pior resultado no ano. Também foi a maior queda para o mês desde 2015. 

Todas as atividades pesquisadas registraram queda, com destaque para o ramo de serviços de informação e comunicação (-2,6%). Os outros recuos ficaram com os setores de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-1%), de outros serviços (-2,3%), de serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,1%) e de serviços prestados às famílias (-0,2%).

• Trabalhador já pode cancelar crédito automático do FGTS na Caixa

• Porto Alegre tem maior inflação entre as capitais em julho, diz IBGE

No mês anterior, o resultado foi revisto de uma estabilidade (0,0%) para um ligeiro avanço de 0,1%. O resultado veio pior que a estimativa mais pessimista dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,80% a um avanço de 0,70%, com mediana negativa de 0,20%. Em comparação a junho de 2018, a queda foi de 3,6%. Já de janeiro a junho deste ano, o volume de serviços acumula alta de 0,6%. Nos últimos 12 meses, houve alta de 0,7%. 

Desde outubro de 2015, o IBGE divulga os indicativos de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o órgão anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal caiu 1,1% em junho ante maio. Na comparação com junho de 2018, houve aumento na receita nominal de 0,4%.