Embaixada chinesa volta a criticar Eduardo Bolsonaro: "Cada vez mais longe no caminho errado"

Embaixada chinesa volta a criticar Eduardo Bolsonaro: "Cada vez mais longe no caminho errado"

Diplomacia da 2ª maior economia mundial e o filho do presidente entraram em conflito novamente na noite desta quinta

Correio do Povo

China é o maior parceiro comercial do Brasil

publicidade

Após o deputado federal, Eduardo Bolsonaro, publicar em seu twitter uma Nota Oficial sobre suas postagens na noite da última quarta-feira, esclarecendo que "jamais ofendeu o povo chinês", mas, reafirmando sua posição em que questionava a atuação do governo chinês na epidemia do coronavírus, a Embaixada da China retomou críticas ao parlamentar e a questionar seu comportamento. 

"Os seus argumentos mostram que você não está arrependido pela sua atitude, tampouco ciente dos seus erros. Ao continuar a optar por ficar no lado oposto ao povo chinês, está indo cada vez mais longe no caminho errado", afirmou a Embaixada em suas redes sociais, que ontem exigiu um pedido de desculpas do deputado.

O perfil oficial da Embaixada no twitter ainda completou afirmando que "sob a liderança do presidente Jair Bolsonaro, o Brasil está combatendo a epidemia do coronavírus" e questionou o deputado sobre qual o papel dele, como parlamentar brasileiro, nesse combate. "Como deputado federal, ao invés de contribuir devidamente para esse combate,  você tem gastado tempo e energia para atacar deliberadamente a China e espalhar boato (...) será que você está cumprindo os seus deveres como deputado?", publicou. 

Ao longo da noite de quarta-feira e desta quinta, autoridades se manifestaram sobre o atrito. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), foi o primeiro a se posicionar e pediu desculpas a Embaixada da China. "Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador Yang Wamming pelas palavras irrefletidas do Deputado Eduardo Bolsonaro", publicou o presidente. O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, alegou na quinta-feira, que as opiniões do filho do presidente são apenas de um parlamentar, e não representam a posição do governo brasileiro. 

Embaixador repudiou a atitude

Na noite da última quarta-feira, Embaixada Chinesa e o filho do presidente discutiram após Eduardo Bolsonaro republicar mensagem que acusava a China de propagar o coronavírus no Mundo. As acusações de Eduardo levaram o próprio embaixador da China, Yang Wanming, a se manifestar de maneira irritada. "A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e à Câmara dos Deputados", indicou o diplomata, marcando ainda as contas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia; e do chanceler, Ernesto Araújo.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895