Último dia de exame impresso do Enem registra movimento tranquilo nos locais de prova

Último dia de exame impresso do Enem registra movimento tranquilo nos locais de prova

Os portões abriram as 11h30, meia hora mais cedo, para evitar aglomeração

Sidney de Jesus

Muitos candidatos do Enem chegaram antes do horário previsto para o fechamento dos portões, às 13 horas

publicidade

O último dia da prova impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em Porto Alegre, registrou um movimento tranquilo neste domingo, 24, nos locais que concentram o maior número de candidatos inscritos, como a Fapa, a UniRitter, a PUCRS e o Colégio São Judas Tadeu. Devido à pandemia de Covid-19, o Inep exigiu a obrigatoriedade do uso de máscara para a aplicação segura da prova aos 5.783.357 inscritos. Na Capital, a medida foi cumprida por todos os candidatos presentes nos locais de prova, sendo que a grande maioria manteve também o distanciamento social.

Com a abertura dos portões marcada para as 11h30 nesta edição, meia hora mais cedo para evitar aglomeração, muitos candidatos chegaram antes do horário previsto para o fechamento, às 13 horas, nos locais de realização do exame. Os estudantes aproveitaram para dar aquela última revisada nos conteúdos de Matemática e Ciências da Natureza e suas tecnologias, disciplinas da segunda prova impressa. "Cheguei com uma hora antecedência porque moro longe e também para aproveitar o tempo, antes do início da prova, para revisar as matérias que estudei", revelou a estudante Andressa Maria Passos, 19 anos, inscrita para fazer o Enem na PUCRS, onde pretende cursar Direito.

Alguns chegaram antes também para evitar o risco de perder o exame. Foi o caso do estudante Rainer da Silva Mendes, de 18 anos, que também faz o Enem na PUCRS.  "Saí de casa mais cedo para não pegar engarrafamento. Estudei muito para essa segunda prova", destacou o estudante, que sonha cursar Arquitetura.  Como acontece todos os anos, o soar da sirene às 13h levou ao desespero alguns participantes do Enem que ainda não estavam dentro dos seus locais de prova neste domingo. No campus da PUCRS, três estudantes perderam o horário e não conseguiram realizar o exame.

Na UniRitter, na zona sul da Capital, os estudantes esperaram em fila a abertura dos portões.  Os amigos Gabriel Sanzone de Freitas e Carlos Alexandre Soares, ambos de 18 anos, vieram de ônibus da Restinga para fazer o exame. "A expectativa é que o segundo dia seja mais difícil que o primeiro", afirmou Gabriel, que pretende fazer o curso de Engenharia Química.

Muitos demonstravam ansiedade antes do início da prova, mas estavam confiantes na realização de um bom exame. "Na primeira prova, na semana passada, eu estava mais tranquilo e foi fácil. Nesta segunda etapa do Enem estou um pouco nervoso porque vai exigir muito raciocínio. Acredito, no entanto, que conseguirei uma boa nota, pois estudei bastante", afirmou o aluno do 3º ano do Ensino Médio, Cesar Luis de Albuquerque, 18 anos, enquanto aguardava a abertura dos portões da UniRitter para fazer a prova.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) reforçou algumas linhas de ônibus, neste domingo, 24, durante o segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A linha Orfanotrofio teve quatro veículos a mais para atender os candidatos.

Os portões dos locais de prova fecharam às 13h. As 13h30min iniciou a aplicação do segundo exame impresso do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com término marcado para as 18h30min. A prova digital do Enem, modelo-piloto que o Ministério da Educação está testando, será realizada em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895