Alunos citam dificuldades nas provas do Enem

Alunos citam dificuldades nas provas do Enem

Candidatos responderão 90 questões até as 18h30min deste domingo

André Malinoski

Candidatos responderão questões de Matemática e Ciências da Natureza

publicidade

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano se encerra neste domingo em todo o Brasil. Os candidatos responderão 90 questões, sendo 45 de Matemática e 45 de Ciências da Natureza (Química, Física e Biologia), durante o período das 13h30min às 18h30min. No prédio 50 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), enquanto aguardavam a abertura dos portões, os estudantes conferiam os últimos detalhes e comentavam sobre o grau de dificuldade do teste. “Este ano está mais difícil do que nos anteriores, porque são muitos textos e pouco conteúdo”, observou a estudante Ericka Menezes, 20 anos, que prestou o Enem pela quarta vez. “Estão pedindo vocabulário que os alunos de escola pública não conhecem”, criticou.

A dificuldade do exame foi citada por outros candidatos. “Colocaram bastante texto e pouco conteúdo. A prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias (que aconteceu no primeiro domingo) estava difícil”, relatou Marcelo Moura, 26, que participou do exame pela segunda vez. A prova de Matemática, sempre uma dor de cabeça para grande parte dos alunos, era motivo de preocupação para Karen Renata Cardoso Souza, 38. “Não sou boa nas matérias exatas, mas estudei para isso. A última prova foi cansativa e com muito texto, e a redação possibilitava várias interpretações”, avaliou ela, que nunca havia participado do Enem antes. Outros aproveitavam para fazer dinheiro com a presença de tantos estudantes na PUCRS. O comerciante Cláudio Martins, sentado de frente para uma mesinha na entrada da universidade, oferecia canetas pretas, item obrigatório para a realização da prova. “Já vendi 100 canetas. E devo vender de 15 a 20 dúzias até o final do dia”, estimava.

Já no primeiro domingo de Enem, os candidatos responderam a 90 questões objetivas de múltipla escolha, das quais 45 eram questões das disciplinas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e outras 45 das disciplinas de Ciências Humanas e suas Tecnologias, além de escrever uma redação dissertativa-argumentativa. No total, foram 11.904 locais de aplicação e 158.445 salas de prova em 1.748 municípios, considerando as duas versões do exame (impressa e digital). Ao todo, 74% dos 3,1 milhões de inscritos compareceram ao exame na primeira semana.

O exame é a principal porta de entrada para os cursos de educação superior do país. A nota é utilizada para ingressar em universidades federais pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para conquistar uma bolsa de estudos via Programa Universidade para Todos (Prouni) ou um financiamento de mensalidade em instituição privada via o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O Rio Grande do Sul teve 138.720 inscritos ao todo – 136.383 estudantes no Enem impresso e outros 2.337 no digital. O processo do Enem foi marcado por polêmicas em 2021, e a edição do exame teve o menor número de inscritos desde 2009, com apenas 3.109.762 estudantes. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vivenciou uma crise ocasionada pela debandada de servidores e denúncias de censura e assédio por parte do governo federal, em relação a determinadas questões e temas. O Inep deve divulgar os gabaritos do Enem 2021 até 1º de dezembro, conforme previsto em edital.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895