Após prisão de Milton Ribeiro, entidades estudantis pedem "fim da impunidade"

Após prisão de Milton Ribeiro, entidades estudantis pedem "fim da impunidade"

Manifesto foi divulgado nesta quarta-feira

Correio do Povo

publicidade

A prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro na “Operação Acesso Pago”, nesta quarta-feira, motivou entidades estudantis a divulgarem uma nota “pelo fim da impunidade e pela reconstrução do projeto de educação”. A investigação da Polícia Federal é motivada por suposto tráfico de influência e corrupção na liberação de recurso público do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação (MEC).

O manifesto, assinado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), critica “esquema que leva o Brasil a imensos retrocessos na educação”, mas entende que se trata de “passo importante contra a impunidade que reinou no atual governo”.      

Entre outras questões, a nota assinala que uma das principais defesas estudantis nesse ano foi pela “apuração do esquema de corrupção do MEC”. Aponta que municípios pararam de receber verbas; estagnou a universalização do acesso ao Ensino Médio; e houve perda de recursos na alimentação escolar. Também critica o corte no orçamento das universidades e institutos federais; o Enem desigual e com menor número de inscritos, desde 2005. E ainda reclama: “nunca fomos ouvidos e sequer recebidos pela pasta”.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895