Bolsonaro nomeia Danilo Giroldo, primeiro nome na lista tríplice, como reitor da Furg

Bolsonaro nomeia Danilo Giroldo, primeiro nome na lista tríplice, como reitor da Furg

Professor, natural de São Paulo, ingressou na Universidade de Rio Grande em 2004

Aristóteles Junior / Rádio Guaíba

Professor substitui Cleuza Dias, que exerceu dois mandados na reitoria, já na próxima semana

publicidade

Ao contrário do que ocorreu na escolha dos gestores responsáveis pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e da Universidade Federal de Pelotas (UfPel), presidente Jair Bolsonaro acatou a indicação da lista tríplice daUniversidade Federal do Rio Grande (FURG) e nomeou o professor Danilo Giroldo ao cargo de reitor. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira. Atualmente, vice-reitor, o docente deve assumir na próxima semana.

Giroldo é paulista e se formou no curso de Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Ele realizou mestrado e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela mesma instituição, localizada no interior de São Paulo, antes de ingressar na Furg em 2004. Ele vai substituir Cleuza Dias, que exerceu dois mandados na reitoria, já na próxima semana. Entretanto, a cerimônia de posse, que acontecerá após a transmissão do cargo, não tem uma data definida.

Seu vice será Renato Duro Dias, pró-reitor de Graduação da Universidade e professor da Faculdade de Direito. Ele ficou em primeiro lugar na lista tríplice para o cargo ao qual foi nomeado. A terceira colocada na lista tríplice, tanto de reito quanto vice, Danubia Bueno Espíndola, também fará parte do grupo de gestores.

Mudança de postura

A decisão vai na contramão da escolha dos gestores responsáveis pela Ufrgs e UfPell. Na Ufrgs, por exemplo, Carlos André Bulhões Mendes assumiu a reitoria sob protestos dos estudantes, já que é considerado ideologicamente alinhado com o presidente. Ele foi o terceiro colocado na consulta à comunidade acadêmica, enquanto o ex-reitor Rui Vicente Oppermann liderou a etapa e acabou fora do cargo por decisão do Governo Federal.

Já na UfPel, Bolsonaro optou por nomear a professora Isabela Andrade, segunda colocada na lista tríplice, ao cargo de reitora. A decisão provocou uma mudança histórica nos protocolos da instituição: a gestão passou a ser compartilhada por dois gestores, favorecendo o vencedor das eleições, Paulo Ferreira Júnior.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895