Governo do RS suspende aulas da rede pública a partir de quinta para conter novo coronavírus
capa

Governo do RS suspende aulas da rede pública a partir de quinta para conter novo coronavírus

Eduardo Leite suspendeu o recadastramento de servidores aposentados e pensionistas por 120 dias

Por
Correio do Povo

Governo encaminhará projeto para contratação emergencial na área da saúde


publicidade

O governador Eduardo Leite anunciou nesta segunda-feira a suspensão das aulas da rede pública de ensino do Estado a partir de quinta-feira, dia 19 de março. "Estamos tomando novas providências. Não há motivo para pânico. Todas as medidas possíveis estão sendo feitas para que possamos retardar o avanço do vírus. O importante é mantermos o número de casos dentro da capacidade hospitalar. Estamos passando a essa nova etapa", anunciou o chefe do Executivo estadual, que recomendou à rede privada que faça o mesmo.

Leite comentou que, na terça e na quarta, as equipes da Secretaria da Saúde e da Educação se reunirão para passar as diretrizes às instituições. O governador suspendeu o recadastramento de servidores aposentados e pensionistas por 120 dias e anunciou suspensão das férias de funcionários das áreas da saúde e da segurança. De acordo com o Leite, servidores com mais de 60 anos, com doenças crônicas e mulheres grávidas receberão indicação para trabalhar de casa.

O chefe do Executivo gaúcho também enviará à Assembleia Legislativa um projeto de lei que prevê a contratação emergencial de funcionários da saúde. "Se você tiver com sintomas, fique em casa, se recolha, não ponha em risco outras pessoas. É o momento de protegermos os idosos. Estamos agindo com serenidade, mas firmeza para superarmos esse momento. Estão todos convocados, restringindo circulação e lavando as mãos. Vamos vencer esse momento no Rio Grande do Sul e certamente no mundo", disse. Ao setor privado, recomendou maior limpeza de superfícies e objetos usados frequentemente.


Rede privada 

O Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul encaminhou nesta segunda um ofício às representações patronais solicitando a suspensão imediata das atividades letivas na rede privada, além da dispensa do comparecimento dos professores aos locais de trabalho. A iniciativa está relacionada ao agravamento da disseminação do novo coronavírus e está baseada nas orientações dos principais infectologistas do Brasil e do mundo.