Governo tenta adiar votação do Fundeb em uma semana
capa

Governo tenta adiar votação do Fundeb em uma semana

Secretaria de Governo defende que novo ministro do MEC, Milton Ribeiro, precisa de mais tempo para conhecer melhor o tema

Por
AE

Governo disse que novo ministro Milton Ribeiro precisa de mais tempo para conhecer melhor o tema


publicidade

O Palácio do Planalto quer adiar a votação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que torna permanente o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que financia a educação básica, e aumenta contribuições da União. A Câmara dos Deputados prevê começar a discussão sobre o texto nesta segunda-feira.

Em reunião com lideranças do Congresso Nacional, na manhã desta segunda, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, sugeriu adiar a votação em pelo menos uma semana, sob argumento de que o novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, precisa conhecer melhor o tema, segundo parlamentares que participaram do encontro.

O governo Jair Bolsonaro, no entanto, quer evitar o aumento da complementação da União no fundo de 10% para 20%, como é proposto no relatório da Professora Dorinha (DEM-TO). A ideia da equipe econômica ainda é destinar cinco pontos porcentuais dessa fatia ao Renda Brasil, programa em estudo no governo, e jogar para 2022 a entrada em vigor das mudanças no fundo.

Em nota, a assessoria do ministro Ramos afirmou que "há de se levar em conta que o ministro da Educação tomou posse há menos de uma semana e não pode participar dos debates com profundidade". Também disse que o governo quer "construir uma solução com o Congresso Nacional o mais rápido possível, pois se trata de uma pauta relevante para o País".

O ministro da Economia, Paulo Guedes, entrou em campo para negociar com a Câmara. O chefe da pasta pode se reunir com a relatora da PEC da Câmara, Professora Dorinha (DEM-TO), ainda nesta segunda-feira. O encontro, porém, ainda não foi confirmado.


Deputados do Centrão, grupo de partidos que tem recebido cargo e verbas para se alinhar ao presidente Jair Bolsonaro, tentam emplacar a proposta do governo. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), também discute o calendário para votação do Fundeb com lideranças da Casa na manhã desta segunda.