Motoristas podem doar centavos para o Instituto Ayrton Senna nos pedágios da freeway
capa

Motoristas podem doar centavos para o Instituto Ayrton Senna nos pedágios da freeway

Projeto Aperte para Educar começou ontem nos pedágios da CCR Via Sul em Gravataí e Santo Antônio da Patrulha

Por
Franceli Stefani

Para doar, os motoristas precisam apertar no botão verde que está instalado junto a cabine de pagamento nos pedágios de Gravataí e Santo Antônio da Patrulha

publicidade

Uma iniciativa que visa contribuir com a educação brasileira. Assim é o programa “Aperte para Educar” que chegou nesta quarta-feira ao Rio Grande do Sul. Desde o meio-dia, os usuários que passarem pelas praças de pedágio da CCR ViaSul em Gravataí, no km 77, e também em Santo Antônio da Patrulha, no km 19, na freeway, poderão fazer microdoações. Todo valor arrecadado será revertido para projetos educacionais do Instituto Ayrton Senna desenvolvidos em todo o Brasil. No Estado, 11 municípios da Região Norte são beneficiados com o projeto “Letramento em Programação”, realizado no contraturno escolar.

O diretor-presidente da CCR, Roberto Calixto, explica que o condutor que trafega pela BR-290 tem a possibilidade de doar o arrendondamento do troco. “Em Gravataí é possível colaborar com R$ 0,10 e em Santo Antônio da Patrulha com R$ 0,20. O montante vai direto para o instituto, que tem credibilidade e ampla atuação na área da educação. Entendo que qualquer contribuição para a área é válida”, frisa. O gestor lembra que é a equipe da organização que ficará responsável pela gestão e manejo dos recursos. “Tenho certeza que será um sucesso e muita gente será beneficiada. A ideia é multiplicar para todas as praças do grupo."

Novidade no Estado e, pela primeira vez, realizada em rodovia federal, a iniciativa já ocorre nas praças da concessionária em São Paulo. “No Sul começamos a ativação ao meio-dia desta quarta-feira, cinco minutos depois já tínhamos mais de 20 doadores”, comemora a coordenadora de negócios do Instituto Ayrton Senna, Priscila Mello. Ela explica que o ato é voluntário. Os motoristas que quiserem contribuir precisam apertar o botão instalado nas cabines. A quantia aparecerá no comprovante entregue ao usuário. “É uma resposta natural, orgânica da sociedade, não é algo que forçamos. Os atendentes não fazem nenhum tipo de oferecimento que seja. O usuário precisa acionar.”

Priscila lembra que a iniciativa ocorre desde 2018 nos pedágios administrados pela CCR em São Paulo. “Até ontem eram três concessões estaduais, agora temos a primeira federal. Além do impacto que o recurso vai gerar para a nossa causa - que é a educação -, é o processo de aculturamento da população para as microdoações”, destaca. A coordenadora explica que elas têm o conceito de serem muito pequenas, de não gerarem grandes impactos financeiros no bolso de quem contribui, mas quando somadas têm um significado positivo para quem é beneficiado.

“No caso do instituto, desenvolvemos soluções educacionais e formando educadores de escolas públicas – do Estado ou município -, sem nenhuma remuneração pelas secretarias. É um recurso importante para garantir a sustentabilidade da organização. O País será beneficiado. O instituto está em 15 estados, atende mais de 1,5 milhão crianças e jovens e forma mais de 45 mil educadores por ano.”

Nenhuma quantia adicional poderá ser doada na cabine do pedágio. Para contribuições diferentes do arrendondamento do troco é preciso acessar o site www.ias.com.br. Para mais detalhes sobre o Aperte para Educar podem ser obtidos no www.aperteparaeducar.com.br.