Prefeitura de Porto Alegre define protocolos sanitários para volta às aulas

Prefeitura de Porto Alegre define protocolos sanitários para volta às aulas

Executivo se comprometeu a disponibilizar testes a professores e funcionários que apresentarem sintomas

Lou Cardoso

Aulas na rede municipal estão previstas para começarem no dia 22 de fevereiro

publicidade

A Prefeitura de Porto Alegre irá apresentar, nesta terça-feira, a partir das 13h, o plano de protocolos sanitários para a volta às aulas na rede municipal, prevista para o dia 22 de fevereiro. O prefeito em exercício, Ricardo Gomes, recebeu, nesta segunda-feira, o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) e a Associação dos Trabalhadores/as em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa) para tratar do assunto. 

De acordo com a secretária municipal de Educação, Janaina Audino, uma das medidas será a apresentação de um boletim semanal à população. “Nossa estratégia envolve o respeito, cuidado e o acompanhamento para dar o apoio necessário às escolas e às famílias”, explicou. 

Os dados da vacinação contra a Covid-19 e a atual situação epidemiológica do município também foram apresentados às direções dos sindicatos. A Prefeitura de Porto Alegre afirmou que irá disponibilizar testes para professores e trabalhadores das escolas que apresentarem sintomas. 

Simpa adverte sobre condições de infraestrutura

Segundo Cindi Sandri, diretora de Comunicação do Simpa, a Prefeitura fez uma apresentação geral sobre os protocolos planejados e que serão divulgados detalhadamente somene nesta terça-feira. Entre os destaques, a presença dos alunos não será obrigatória, será uma escolha da família: “É um avanço no sentido de compreensão com as condições necessárias para o retorno presencial”, afirmou Cindi. 

No entanto, ainda há diversos problemas para o retorno das aulas como, por exemplo, a infraestrutura, organizações de rotina, de recursos humanos, o distanciamento entre alunos. “Nos preocupa bastante no que se refere aos cuidados com os espaços internos no sentido de manutenção, a capacidade de garantir a segurança sanitária”, relatou a diretora do Simpa.  

“Pressupõe a necessidade do governo municipal de se preocupar e se responsabilizar para dar conta do retorno e garantir efetivamente as condições sanitárias para a movimentação de pessoas dentro da escola”, completou. 

O Simpa irá se reunir novamente com a Prefeitura de Porto Alegre para apresentar a avaliação do sindicato sobre os protocolos do retorno às aulas às 11h, desta quinta-feira. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895