Último dia de vacinação contra a gripe termina sem filas em Porto Alegre
capa

Último dia de vacinação contra a gripe termina sem filas em Porto Alegre

Com mais de 630 mil doses aplicadas em grupos prioritários, imunização alcançou 88,16% da meta geral na Capital

Por
Cláudio Isaías

Devido à chuva, movimentação nos postos de saúde de Porto Alegre foi baixa nesta terça-feira


publicidade

A vacinação contra a gripe terminou nesta terça-feira nos postos de saúde de Porto Alegre. Pela manhã, o movimento em razão da chuva foi fraco nas instituições de saúde. Tanto na unidade Santa Cecília, na rua São Manoel, no bairro Santana, quanto no posto Santa Marta, no Centro Histórico, e no Centro de Saúde Modelo, no bairro Santana, a imunização pôde ser realizada com muita tranquilidade, sem filas de espera.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que foram aplicadas 630.360 doses de vacina contra a gripe nos grupos prioritários desde o início da campanha, no dia 23 de março, o que representa 88,16% da meta geral de 715 mil pessoas em Porto Alegre. Com a imunização estendida a outros públicos desde 15 de junho, foram vacinadas mais 48.219 pessoas, conforme dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI). Para evitar aglomerações em função da Covid-19, mais de 100 pontos foram colocados à disposição da população, entre unidades de saúde e farmácias parceiras. 

No caso de idosos acima de 60 anos e trabalhadores de saúde, primeiros com acesso à vacina, a meta de imunização foi ultrapassada rapidamente, em 16 de abril. O quantitativo de doses para ambos os grupos chegou a 270 mil e 100,6 mil, respectivamente, o que correspondeu a 140,86% e 135,64% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde - que era alcançar 191,7 mil idosos e 74,2 mil trabalhadores de saúde.

Entre indígenas, a meta também foi ultrapassada, com a imunização de 641 pessoas - 124,95% da expectativa mínima de vacinar 513. Com relação a adultos de 55 a 59 anos e professores, últimos grupos da campanha, incluídos a partir de 18 de maio, foram aplicadas 40.706 e 7.769 doses, respectivamente. Isso corresponde, nessa ordem, a 55,76% e 72,72% da meta de vacinar 72.990 pessoas entre 55 e 59 anos e 10.683 professores. Os grupos prioritários estão mais sujeitos a complicações após infecção pelo vírus influenza, e por isso a importância da proteção.

Com início no dia 11 de março, até o momento, cerca de 58 milhões de pessoas foram vacinadas, o que corresponde a 84% dos grupos prioritários. A meta é vacinar, pelo menos, 90% deste público. A vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS).


A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença. Entre os grupos prioritários, os idosos foram os que tiveram melhor desempenho, com cobertura de 118,4%. Em seguida, estão os trabalhadores da área da saúde que chegaram à marca de 112,8% do grupo vacinado. Enquanto isso, o grupo com menor cobertura vacinal foi o das gestantes, com cobertura vacinal de 53%, seguidas das crianças até cinco anos, com 53,2% e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto) com 63,8% do público vacinado. O Ministério da Saúde distribuiu um total de 79,9 milhões de unidades da vacina em todo o país.