Alertas de desmatamento na Amazônia crescem 418% em janeiro, mostra Inpe

Alertas de desmatamento na Amazônia crescem 418% em janeiro, mostra Inpe

De acordo com levantamento, devastação na região bateu recorde para o mês, comparando com toda a série histórica, desde 2016

R7

Desmatamento atinge níveis preocupantes na Amazônia, segundo Inpe

publicidade

Dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que houve um recorde de desmatamento na Amazônia legal durante janeiro, observando toda a série histórica do mês, desde 2016. Foram 430 km² com alertas de desmatamento, um aumento de 418% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando os alertas do sistema Deter apontaram 83 km² de desmatamento.

O sistema é um levantamento da alteração de cobertura florestal. Os números consolidados são divulgados a cada ano, pelo sistema Prodes.

A maior quantidade de alertas está concentrada nos estados do Mato Grosso, Rondônia e Pará. Observando a série histórica, o segundo mês de janeiro com maior quantidade de alertas foi o de 2020, com 284 km² de devastação. Em 2016, foram 229 km²; em 2017, 58 km²; em 2018, 183 km²; e em 2019, 136 km².

Veja Também

Em nota enviada à imprensa, a porta-voz de Amazônia da ONG (Organização Não-Governamental) Greenpeace Brasil, Cristiane Mazzetti, afirma que o desmatamento contribui com a ocorrência de "extremos climáticos", "a exemplo das fortes chuvas que afetam drasticamente as vidas de milhares de brasileiros", pontua. No fim do ano passado e no início deste ano, estados como Minas Gerais, Bahia e São Paulo vivenciaram desastres causados por fortes chuvas.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895