ANP encontra irregularidades em dois postos de combustíveis no Litoral Norte
capa

ANP encontra irregularidades em dois postos de combustíveis no Litoral Norte

Até o final da temporada serão visitadas cerca de 70 cidades em 16 estados

Por
Gabriel Guedes

ANP esteve em Capão da Canoa nesta sexta

publicidade

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) encerrou nesta sexta, a Operação Verão no Litoral Norte, onde foram encontradas irregularidades em dois postos de combustíveis da região. Nos últimos quatro dias, fiscais percorreram 12 estabelecimentos, sendo quatro em Torres, seis em Tramandaí e dois em Capão da Canoa. A ação, que não é exclusiva do Rio Grande do Sul, fiscaliza postos de combustíveis em cidades com grande fluxo turístico nesta época do ano. Até o final da temporada serão visitadas cerca de 70 cidades em 16 estados. Pela manhã, a ANP esteve também em Capão da Canoa, acompanhado do Procon municipal. Um dos postos fiscalizados fica na Praia de Curumim.

Conforme a agência, entre os dias 10 e 14, a operação flagrou dois postos com problemas, um em Torres e outro em Tramandaí, e as bombas foram interditadas. Os fiscais flagraram fornecimento de combustível abaixo da variação permitida na legislação. Este problema é detectado em um dos testes feitos pelos agentes, que é o de volume utilizando balde aferidor de 20 litros. São marcados 20 litros na bomba e os fiscais observam se os mesmos 20 litros estão fornecidos no balde. Contudo, há uma margem de tolerância, que é de 100 ml para mais ou 60 ml para menos.

A ANP autua o posto e interdita a bomba caso a diferença esteja fora desta margem. Outro teste realizado é o de qualidade, em que é aferido o teor de álcool na gasolina. “Se a amostragem apontar um teor maior de gasolina, o combustível é enviado para análise em laboratório na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, por suposta adulteração”, frisa o fiscal que, por receio, não quis se identificar.

“Estes mesmos testes que a gente faz, também podem ser solicitados pelos consumidores durante o atendimento. Os estabelecimentos são obrigados a ter este material e alguém que saiba manuseá-lo”, orienta o representante da agência, mostrando a proveta de 100 ml e o balde aferidor. Caso não se consiga fazer o teste, o posto pode ser denunciado pelo telefone 0800-970-0267 ou pelo site