Anvisa alerta que testes para diagnóstico da Covid-19 não atestam proteção vacinal

Anvisa alerta que testes para diagnóstico da Covid-19 não atestam proteção vacinal

Produtos disponíveis no mercado não devem ser usados para avaliar o nível de imunidade ou proteção de pessoas vacinadas contra o coronavírus

Correio do Povo

Anvisa alerta que testes para detectar a Covid-19 não servem para atestar a proteção vacinal

publicidade

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota técnica nesta terça-feira para alertar que testes para diagnóstico de Covid-19 não atestam proteção vacinal. Segundo o órgão, os exames disponíveis no mercado não têm a finalidade de avaliar a defesa que as vacinas dão ao organismo, mas possibilitam apenas a identificação de pessoas que tenham se infectado pelo Sars-CoV-2.

“Os testes disponíveis não foram avaliados para verificar o nível de proteção contra o novo coronavírus”, ressaltou a Anvisa.

A agência ainda destaca que os resultados fornecidos pelos testes só devem ser interpretados por profissionais de saúde. E que, até o momento, não existe a definição da quantidade mínima de anticorpos neutralizantes – que evitam a entrada e a replicação do vírus nas células – para conferir proteção imunológica contra a infecção, reinfecção, formas graves da doença e novas variantes de Sars-CoV-2 em circulação.

“Por isso, os testes para diagnóstico não podem ser utilizados para determinar proteção vacinal”, diz a nota.

A Anvisa “reforça, ainda, que não há embasamento científico que correlacione a presença de anticorpos contra o Sars-Cov-2 no organismo e a proteção à reinfecção. Sendo assim, nenhum resultado de teste de anticorpo (neutralizante, IgM, IgG, entre outros) deve ser interpretado como garantia de imunidade e nem mesmo indicar algum nível de proteção ao novo coronavírus”.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895