Anvisa se reúne com Butantan para tratar sobre a vacina para a Covid-19

Anvisa se reúne com Butantan para tratar sobre a vacina para a Covid-19

Previsão é que pedido de uso emergencial da vacina seja feito na quinta-feira pelo Butantan e até sexta pela Fiocruz

R7

Segundo governo de São Paulo, Butantan tem 8 milhões de doses em território nacional

publicidade

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tem reunião técnica, nesta quarta-feira, às 14h30min, com o Instituto Butantan. O motivo do encontro não foi divulgado pela agência. A previsão é que o Instituto Butantan solicite uso emergencial da CoronaVac na quinta-feira e a Fiocruz até sexta-feira. Não há previsão de reunião com a Fiocruz agendada para esta quarta-feira até o momento, informou a Anvisa.

Depois de realizado o pedido, a Anvisa terá 10 dias para autorizar o início da imunização no país. Não há data confirmada para início do plano nacional de imunização contra a Covid-19, conforme divulgado pelo Ministério da Saúde na segunda-feira. Mas a pasta informou, por meio de nota, que trabalha “com três margens temporais”. O início da vacinação na “melhor hipótese” seria em 20 de janeiro, "hipótese intermediária" entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro" e "hipótese mais tardia" em 10 de fevereiro.

A vacina de Oxford é a principal aposta do governo brasileiro, que tem acordo de compra e transferência de tecnologia com a AstraZeneca, farmacêutica sueca que desenvolve a vacina junto à Universidade de Oxford. Para iniciar a imunização no país ainda este mês, a Fiocruz depende da importação de vacinas prontas fabricadas no Instituto Serum, na Índia.

A fundação já tem autorização da Anvisa para a importação de 2 milhões de doses, mas havia um impasse em relação ao Serum, que tinha anunciado que priorizaria doses para seu próprio país, só disponibilizando vacinas a partir de março. No entanto, na terça-feira, o instituto divulgou que vai atender às demandas globais por vacina, abrindo caminho para a importação da Fiocruz. O impasse adiou a previsão de pedido de solicitação de uso emergencial da Fiocruz desta quarta-feira para sexta-feira.

Por outro lado, o Butantan já conta com as doses da CoronaVac disponíveis para aplicação, prevista para ter início em 25 de janeiro, conforme divulgado pelo governo do Estado. Há 8 milhões de doses em território nacional, segundo anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista coletiva à imprensa em dezembro. O governo tem acordo com a Sinovac, empresa chinesa que desenvolve a CoronaVac, para transferência de tecnologia para o Instituto Butantan.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895