Anvisa solicita aos laboratórios informações sobre impacto da ômicron nas vacinas

Anvisa solicita aos laboratórios informações sobre impacto da ômicron nas vacinas

Pedido foi encaminhado aos laboratórios Pfizer, Butantan, Fiocruz e Janssen

Correio do Povo

Pedido foi encaminhado aos laboratórios Pfizer, Butantan, Fiocruz e Janssen

publicidade

A Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) anunciou, nesta quarta-feira, que solicitou às desenvolvedoras de vacinas autorizadas no Brasil informações sobre estudos em andamento que apontem impactos da nova variante ômicron na eficácia dos imunizantes contra o coronavírus. O pedido foi encaminhado aos laboratórios Pfizer, Butantan, Fiocruz e Janssen.

"A Anvisa exige, para as vacinas autorizadas, que os desenvolvedores monitorem e avaliem o impacto das variantes na eficácia e na efetividade dos imunizantes. É preciso observar, porém, que esses estudos demandam tempo, uma vez que é preciso obter informações genéticas e amostras de pacientes para então realizar os testes e a análise", informou o órgão regulador destacando que vacinas atuais permanecem efetivas na prevenção contra a Covid-19 e desfechos clínicos graves, incluindo hospitalização e morte.

Segundo o órgão, o momento é de "cautela". Na semana passada, a nova variante, identificada inicialmente na África do Sul, foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como de "preocupação" - mesma categoria de outras quatro cepas, incluindo a delta. Por enquanto, o Brasil é o único país latino-americano que identificou pacientes com a variante ômicron. Nesta quarta-feira, São Paulo reportou o terceiro caso

A Anvisa também comunicou que está trabalhando ativamente com os reguladores internacionais e laboratórios para possibilitar uma atuação rápida diante de potenciais impactos da nova cepa. “A melhor coisa que a população pode fazer é ser vacinada ou receber o reforço do imunizante e manter as medidas de prevenção”, diz a nota.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895