Após liberação para abertura aos sábados, lojistas de Porto Alegre apontam melhora nas vendas

Após liberação para abertura aos sábados, lojistas de Porto Alegre apontam melhora nas vendas

Entidades apontam que o fim de semana é o período de maior procura por lojas e restaurantes

Cláudio Isaías

Entidades apontam que o fim de semana é o período de maior procura por lojas e restaurantes

publicidade

Os lojistas de Porto Alegre perceberam uma melhora nas vendas do varejo em razão do decreto do governo do Estado que permitiu a abertura dos estabelecimentos no sábado. O setor está mais otimista com o terceiro final de semana que terá lojas abertas. 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL/POA), Irio Piva, disse que todos os protocolos sanitários estão sendo seguidos pelos lojistas para que não haja nenhum retrocesso. Piva lembrou que ano passado as lojas estavam fechadas em função da pandemia. "Não queremos mais esse fechamento e por esse motivo estamos sendo bem rigorosos nas medidas de segurança", destacou. 

Veja Também

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL/RS), Vitor Augusto Koch, afirmou que o sábado é considerado o melhor dia de vendas pelos varejistas. Segundo ele, quem trabalha de segunda a sexta-feira só tem o sábado como dia possível para ir comprar e o comércio funcionando neste dia é fundamental para amenizar os prejuízos do setor.

A presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Rio Grande do Sul (Abrasel no RS), Maria Fernanda Tartoni, afirmou que o setor estava pleiteando a liberação de abertura à noite e aos finais de semana há bastante tempo. "Porém, o final de semana contemplou o almoço e não o jantar, que é um período muito importante, pois sábado à noite é o melhor dia para todos os nossos estabelecimentos e tem um ticket médio mais alto. Nesse momento só podemos atender 25% da nossa capacidade, então, o sábado ganha ainda mais importância", explicou. 

Segundo Maria Fernanda, a reabertura traz esperança de dias melhores. "O final de semana ainda está muito incipiente. Os clientes ainda estão confusos e procurando muitos os estabelecimentos para entender sobre o funcionamento", ressaltou. Segundo ela, o movimento ainda está baixo e neste sentido é preciso que as pessoas tenham mais confiança e entendam melhor quais são os horários para voltar a frequentar os seus bares e restaurantes prediletos.

Na manhã desta quinta-feira, o movimento foi bem intenso nas lojas de rua e os centros comerciais de Porto Alegre. Tanto na rua dos Andradas quanto na Doutor Flores o público seguia conferindo as promoções feitas pelo varejo. Na entrada dos estabelecimentos é feita a verificação da temperatura e oferecido álcool em gel e os funcionários controlam o limite de pessoas dentro das lojas. 

No horário do almoço, os restaurantes do Centro Histórico apresentaram um movimento tranquilo de clientes. Dentro dos estabelecimentos não havia aglomeração e o público recebeu luvas de plástico para se servir no buffet.

AAbrasel no RS realizou uma pesquisa que mostrou que cerca de 80% dos estabelecimentos demitiram funcionários durante a pandemia da Covid-19, sendo que metade daqueles que não tiveram cortes na equipe ainda, pretendem fazer para tentar equilibrar as contas. 

O endividamento das empresas atingiu 85,7% e causou reflexos aos cofres públicos com dois terços deixando de pagar impostos. A pesquisa mostrou que 56,8% dos estabelecimentos podem fechar as portas em definitivo nos próximos 60 dias e que 83,8% dos bares e restaurantes trabalham à noite, sendo que 26,9% funcionam apenas no período noturno. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895