Apesar decisão judicial, maioria dos bancos abre em Porto Alegre
capa

Apesar decisão judicial, maioria dos bancos abre em Porto Alegre

SindBancários fez registro das agências para denunciar para a Justiça

Por
Karina Reif

Agências abriram nesta quinta-feira mesmo com proibição judicial

publicidade

Apesar de decisão judicial proibir a abertura dos bancos por falta de policiamento, a maioria das agências abriu nesta quinta-feira. O SindBancários percorreu diversas unidades e tentou impedir a abertura de algumas, mas sem sucesso. “Os bancos chamaram a Brigada Militar e a maioria abriu. Na quarta-feira, tinham desculpa de não ter recebido o comunicado, mas agora estamos circulando e fazendo o registro para que a Justiça puna os que desrespeitaram”, declarou Everton Gimenis, presidente da entidade sindical. A multa pelo descumprimento é de R$ 100 mil.

Leia mais sobre a Crise no RS

As agências não podem abrir até que a Brigada Militar retome o policiamento ostensivo nas ruas. “Sabemos que esse não é policiamento normal e que os policiais estão aquartelados”, ressaltou Gimenis. O sindicato estava recebendo denúncias de bancos operando.

O assessor jurídico do SindBancários, Antônio Vicente Martins, ressaltou que a entidade vai peticionar ao judiciário o descumprimento. “Vamos exigir o fechamento das agências diretamente com os gerentes, visando à proteção dos trabalhadores bancários e da população em geral.”

Os casos de ataques a bancos bateram recorde em agosto e o número chegou a 34. É o maior índice de violência bancária já registrado em 10 anos.  “Ninguém vai descumprir a liminar. Os bancos intimados estão pedindo reconsideração da medida judicial”, declarou o diretor jurídico da Associação Bancos do Rio Grande do Sul, Flávio do Couto e Silva. Ele disse que as empresas vão recorrer da decisão e um dos argumentos é de que a insegurança por falta de policiamento ostensivo é nas ruas, do lado de fora das instituições. “Dentro dos bancos tem segurança”, declarou se referindo ao serviço privado.