ARI lança a Semana da Imprensa Hipólito José da Costa
capa

ARI lança a Semana da Imprensa Hipólito José da Costa

A importância do jornalismo nos tempos atuais foi destacada no Dia da Imprensa

Por
Correio do Povo

Semana da Imprensa Hipólito José da Costa terá debates, ciclo de filmes, encontros e homenagens até a próxima sexta-feira

publicidade

A Associação Riograndense de Imprensa (ARI) promove a Semana da Imprensa Hipólito José da Costa com a realização de debates, ciclo de filmes, encontros e homenagens até a próxima sexta-feira, dia 7, em Porto Alegre. “É uma excelente oportunidade para que façamos uma reflexão sobre o papel do jornalismo nestes momentos turbulentos em relação ao pensar e à questão da democracia. Nesse momento é mais que necessário o jornalismo”, afirmou o presidente da ARI, Luiz Adolfo Lino de Souza. “Precisamos de um comprometimento, além da verdade, com o livre pensar e a democracia”, acrescentou.

Já um dos coordenadores do evento e diretor da entidade, Mário Rocha, enfatizou que o jornalismo é essencial para a vida democrática. “A questão da fake news é só início. Já existe a deepfake cujos programas de computador permitem recriar pessoas com algoritmos e imagens. Essa pessoa falsa pode omitir informações, opiniões, etc, aparentemente corretas. Como se faz oposição a isso? Através da credibilidade de quem emite a mensagem. Quem é crível para emitir a mensagem jornalística? Os veículos tradicionais e os novos, os jornalistas comprometidos com a verdade, preferencialmente com formação acadêmica e embutidos das questões de ética da imprensa e ética geral”, explicou.

As primeiras atividades da Semana da Imprensa Hipólito José da Costa ocorrem neste sábado, Dia da Imprensa, com a realização pela manhã do painel “O legado de Hipólito da Costa e a responsabilidade atual do Jornalismo”. Um dos palestrantes foi do coordenador do setor de imprensa do Museu da Comunicação Hipólito José da Costa, pesquisador Carlos Roberto Saraiva da Costa Leite, que destacou a trajetória e importância de Hipólito José da Costa, patrono da Imprensa no Brasil.

No dia 1º de junho de 1808 foi lançado o Correio Braziliense, considerado o primeiro jornal brasileiro. Defensora da liberdade de imprensa e da luta contra a censura, a publicação durou até 1822 com um total de 175 edições mensais, sendo impressa na Inglaterra, onde Hipólito da Costa estava exilado desde 1805 e morreria em 1823. O jornal era enviado ao Brasil através de navios e circulava clandestinamente pois havia a Censura Régia imposta pela Coroa Portuguesa e que proibia a presença de tipografias. “Hipólito da Costa bebeu nos ideais da Revolução Francesa. Ele era humanista”, observou o pesquisador. A programação completa do evento pode ser acessada no site da ARI.