Atividades culturais marcam comemoração do Ano-Novo chinês
capa

Atividades culturais marcam comemoração do Ano-Novo chinês

Iniciado no dia 5, ano do porco pode marcar ano definido pelo determinismo, explica especialista

Por
Felipe Samuel

Evento sobre o Ano-Novo chinês atraiu diversas pessoas na Redenção

publicidade

Uma série de atividades culturais marcou comemoração do Ano-Novo chinês — que começou no dia 5 — no Parque da Redenção, neste domingo. Durante o dia, adultos e crianças participaram de palestras, oficinas e demonstrações de artes marciais no recanto oriental do parque. Gerente do Instituto Confúcio, da Ufrgs, Athos Munhoz explica que 2019 é o ano do Porco de Terra. O animal, segundo ele, representa tranquilidade. "Cada ano é regido por um animal. O ciclo do zodíaco chinês tem 12 anos, cada um regido por um animal. O porco encerra esse ciclo", destaca. 

Munhoz afirma que cada ano também é regido por um elemento: terra, metal, madeira, água e fogo. "A questão do porco é muito interessante porque ele é considerado um animal muito determinado, mas ao mesmo tempo tem uma lenda que fala que os signos do zodíaco chinês foram definidos a partir de uma corrida dos animais. E o porco foi o último colocado porque ele resolveu que aquela competição não era tão importante assim, que ele deveria ficar tranquilo. Então de certa forma esse ano representa isso, tranquilidade, calma, paciência", ressalta. Como o calendário chinês é baseado no Sol e na Lua, o Ano-Novo chinês é comemorado em períodos diferentes a cada ano.

Conforme Munhoz, os chineses conferem importância à Lua, que rege também a agricultura. "É quando a Lua atravessa o 15 grau da constelação de aquário, o equivalente à constelação de aquário. A constelação existe mas o nome que eles dão é diferente. Então eles consideram isso o festival da primavera. É o momento em que o inverno está começando a terminar. É depois do solstício e antes do equinócio", observa. Por isso, alguns anos são mais curtos e outros são mais longos. "Em 2020, o Ano-Novo chinês vai ser no dia 25 de janeiro. Mas provavelmente em 2021 vai ser em fevereiro de novo, então vai ser um ano maior", salienta.

“Ano importante para as pessoas desenvolverem foco”

Diretor e fundador do Centro Cultural Chinês, Sérgio Queiróz destaca as demonstrações de artes marciais, como Tai Chi Chuan e Kung Fu e as palestras sobre medicina tradicional chinesa. Queiróz aposta que 2019 será um ano marcado pelo determinismo. "Vai ser um ano importante para as pessoas desenvolverem foco, perceberem na realidade o que não deu tão certo no outro ano para que nesse ano possa organizar melhor e quem sabe adquirir e colher frutos melhores", avalia. 

Conforme Roberto Jakubaszko, integrante do Conselho de Usuários do Parque Farroupilha, a quarta edição do evento reuniu cerca de mil pessoas. "Fiquei surpreso com número de acessos no parque. Veio muita gente num belo dia como este. Estou feliz, foi muito bom", salienta. Para o próximo ano, a ideia dos organizadores é fazer as comemorações da data durante uma semana na Capital.