Avanço da Covid-19 aumenta número de afastamentos de profissionais de saúde em Porto Alegre

Avanço da Covid-19 aumenta número de afastamentos de profissionais de saúde em Porto Alegre

No Grupo Hospitalar Conceição, 395 pessoas foram afastadas das suas funções desde o início do ano

Felipe Samuel

Casos confirmados e suspeitos avançam entre os trabalhadores da saúde

publicidade

A aceleração da pandemia do novo coronavírus começa a afetar o trabalho de hospitais referência no tratamento da doença na Capital. O aumento exponencial da transmissão da Covid-19 desde o início do ano já reflete no crescimento do número de afastamentos de profissionais de saúde. E ao mesmo tempo em que os casos confirmados e suspeitos avançam entre os trabalhadores da saúde, a demanda por serviços de urgência e emergência segue em alta na cidade.

No Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), o início do mês de janeiro foi marcado pelo crescimento de 1.300% dos casos de Covid-19 entre profissionais da saúde em relação a dezembro. Até o dia 11 deste mês, 345 pessoas testaram positivo para a doença, sendo 272 funcionários e 73 residentes positivaram. Durante todo mês de dezembro, 23 profissionais apresentaram diagnóstico positivo. Atualmente, 142 pessoas seguem afastadas cumprindo isolamento.

GHC tem 115 casos confirmados para a Covid-19

No Grupo Hospitalar Conceição (GHC) - que administra os hospitais Nossa Senhora da Conceição, Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina, além da UPA Moacyr Scliar -, desde o início de janeiro pelo menos 115 funcionários apresentaram diagnóstico de Covid-19. Entre casos confirmados e suspeitos, 395 pessoas foram afastadas das suas funções desde o início do ano.

Em relação a dezembro do ano passado, quando o GHC confirmou 20 casos da doença entre profissionais de saúde, o aumento é de 375%. "Muitos já retornaram essa semana", esclarece o diretor-presidente do GHC, Cláudio Oliveira. Quem recebe diagnóstico positivo para a doença tem cinco dias de atestado.

Mãe de Deus já afastou 150 profissionais desde o início do ano

A aceleração da pandemia no Estado também não poupou os funcionários do Hospital Mãe de Deus. Desde o início do ano, 150 profissionais de saúde foram afastados por conta da Covid-19, dos quais 76 testaram positivo para a doença. Em apenas 12 dias, o número de afastamentos é quase o dobro do total verificado em dezembro, quando houve 89 afastamentos por suspeitas - com 9 casos confirmados.    

Veja Também

Afastamentos geram necessidade de remanejo de equipes

No Hospital Moinhos de Vento, atualmente 56 profissionais de saúde estão afastados em decorrência da Covid-19. Desse total, 35 estão aguardando exames, 13 testaram positivo para Covid-19 - e estão em isolamento - e outros 8 apresentaram diagnóstico negativo, mas têm sintomas persistentes. De acordo com a instituição, os afastamentos geram necessidade de remanejo das equipes e ajustes das cargas de trabalho. Em nota, o Moinhos de Vento informa que "está preparado para essa adequação".

Em relação a outros períodos da pandemia, a média de funcionários afastados por conta da doença está abaixo da registrada durante todo o período. Segundo o Moinhos de Vento, de junho de 2020 a março de 2021, a média de novos casos de Covid-19 entre os colaboradores é de 65 por quinzena. Com avanço da vacinação, houve uma redução significativa. "Na primeira semana de 2022, estamos com 13 novos casos. Portanto, estamos trabalhando com números inferiores a outros períodos da pandemia", destaca a nota.

Santa Casa registrou 75 afastamentos na primeira semana de janeiro

O aumento dos casos de Covid-19 também atingiu o quadro de funcionários da Santa Casa. Na primeira semana de janeiro, a instituição registrava 75 funcionários efetivos afastados por Covid-19. Do total, 33 testaram positivo para a doença e 42 foram afastados por apresentarem sintomas. O Hospital Vila Nova informa que 197 profissionais da saúde foram afastados em função da Covid-19.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895