Avanço da vacinação causa rejuvenescimento de casos e vítimas da pandemia

Avanço da vacinação causa rejuvenescimento de casos e vítimas da pandemia

Especialista vê nos dados a comprovação da importância da vacinação

Jessica Hübler

Cenário da pandemia no RS mudou com avanço da vacinação

publicidade

Enquanto os números da pandemia se mantêm em um patamar alto no Rio Grande do Sul, a face das vítimas mudou. E essa situação fica mais clara com a análise de dados recentes sobre os impactos da Covid-19 nos hospitais, pois os pacientes e as vítimas estão mais jovens, o que pode ser um reflexo do avanço e da eficiência da vacinação, que já provocam resultados significativos. 

De acordo com o epidemiologista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Paulo Petry, de fato temos observado que a doença tem mudado e afetado as faixas etárias de uma forma diferente. “Houve uma transição considerável, sendo que num primeiro momento a partir de março de 2020 as estatísticas quando começaram a se avolumar, tínhamos entre 70% a 80% dos óbitos concentrados em pessoas com mais de 60 anos e a partir do início de 2021, especialmente, com o início da vacinação
começou a se observar uma redução na mortalidade das pessoas com mais de 60 anos”, assinalou. 

Segundo ele, no Rio Grande do Sul em janeiro de 2021, tínhamos cerca de 70% das internações em leitos de UTI concentradas em pessoas com mais de 60 anos, entretanto em junho de 2021 a redução foi superior a 50%, ou seja, tínhamos 33% de idosos internados em UTIs no território gaúcho. “Eu diria que a doença tem afetado cada vez pessoas mais jovens desde abril de 2021. A maioria das internações nas UTIs já não é de idosos faz um tempo, o que nos remete à questão da vacinação”, apontou. 

Conforme Petry, temos hoje a população com 70 anos ou mais já 90% ou mais vacinada. As pessoas com 60 anos ou mais com um percentual muito grande, praticamente 100% pelo menos com a primeira dose, o que embasa a percepção. “Então nós vemos que o efeito da vacina tem começado a se mostrar cada vez mais importante”, afirmou. “O que comprova a importância da vacinação em massa como uma medida protetora e extremamente eficaz”, concluiu.

Em pouco mais de seis meses desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, o Rio Grande do Sul já aplicou 9.072.066. Pouco mais de 26% da população residente já concluiu o esquema vacinal, enquanto 56,3% receberam ao menos uma dose. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895