Avião com quase 243 mil doses de vacina contra a Covid-19 chega ao RS

Avião com quase 243 mil doses de vacina contra a Covid-19 chega ao RS

São 192.750 do imunizante da Oxford/AstraZeneca e 50.200, da Coronavac

Rádio Guaíba

Avião com quase 243 mil doses de vacina contra a Covid-19 chega ao RS

publicidade

Um avião da companhia aérea Azul com 242.950 doses de vacinas contra a Covid-19 chegou no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, por volta das 6h desta sexta-feira. O novo lote destinado ao Rio Grande do Sul tem 192.750 doses da vacina de Oxford/AstraZeneca e 50.200 da Coronavac (Butantan).

A carga foi encaminhada para a Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), na Capital. A distribuição das vacinas aos municípios gaúchos será iniciada imediatamente, possibilitando a conclusão do envio ao interior durante o final de semana.

Com o recebimento dessa carga, chegará a 3.847.540 o número de vacinas contra a Covid-19 disponibilizadas ao Rio Grande do Sul. Até o momento, pelo menos 1.992.717 pessoas receberam a primeira dose, enquanto 584.881 já completaram o programa, com duas doses, e estão imunes à doença. Ou seja: pelo menos 39,2% da população inclusa nos grupos prioritários já receberam ao menos uma dose, e 11,5% tiveram duas.

Conforme a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, as 242.950 vacinas serão destinadas às primeiras e segundas doses, além de reforçar a aplicação em idosos que não se imunizaram. 

Aplicação da segunda dose 

Do carregamento total, 50,2 mil doses da Coronavac devem ser usadas para atender ao menos 86% da segunda dose de quem recebeu a primeira a partir da remessa que chegou em 20 de março. Segundo o governo, somando com as doses já reservadas para esse fim, ainda ficarão faltando 40 mil para atender a integralidade desse público.

Já as 192,7 mil da AstraZeneca devem atender 100% da segunda dose das pessoas que receberam a primeira aplicação na remessa que chegou em 24 de janeiro, além de completar a totalidade da primeira dose de idosos de 62 anos em cidades que ainda não conseguiram.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895