Barco que encalhou em Cidreira realizava pesca ilegal e será resgatado na quinta

Barco que encalhou em Cidreira realizava pesca ilegal e será resgatado na quinta

Remoção do navio de 18 metros de comprimento foi interrompida por conta dos ventos e ondas fortes

Felipe Samuel

Equipamentos da prefeitura de Cidreira irão ajudar a desencalhar a embarcação - Foto: Leandro Miranda / Correio de Imbé / Divulgação / CP

publicidade

Devido às condições adversas, com vento e ondas durante todo o dia, a remoção de um barco de 18 metros de comprimento que encalhou na madrugada de quarta-feira a cerca de 200 metros da plataforma de pesca de Cidreira e a 300 metros da beira da praia foi interrompida no final desta tarde. O resgate recomeça na quinta-feira. Duas máquinas da prefeitura da cidade, com cabo de aço junto à proa do barco, foram utilizadas para tentar trazer a embarcação até a beira da praia. Os quatro pescadores que faziam parte da tripulação foram salvos sem ferimentos com a ajuda de servidores da Agência da Capitania dos Portos de Tramandaí e Bombeiros. 

De acordo com comandante da Patrulha Ambiental do Litoral Norte, capitão João César Verde Selva, a retirada da embarcação – que realizava prática de pesca ilegal – precisa ser realizada com cuidado. "O navio estava fazendo água, entrando muita água, oferecendo grande dificuldade de remoção. As equipes seguiram trabalhando nesse sentido, com delicadeza, para evitar vazamento de óleo", afirma. Como ele encostou o casco na areia, a tendência é que tenha ocorrido avarias. Como existe o risco de afundamento, já que a estrutura da embarcação pode ter sofrido problemas, a opção foi não desencalhar puxando na direção contrária da beira da praia.

De acordo com o capitão, fiscais do Ibama devem comparecer quinta ao local para auxiliar na identificação das espécies apreendidas com os tripulantes. "Eles estavam realizando prática de pesca ilegal. O mestre e o proprietário da embarcação foram conduzidos à delegacia", destaca. O oficial sustenta que ainda não há como avaliar os danos causados na embarcação sem terminar a retirada do navio. "Estamos aguardando remoção para confirmar o estoque de combustível. Não temos nenhum dado preciso", frisa.

Conforme a Marinha, ao encalhar em Cidreira, três pescadores nadaram até a praia e o quarto, o comandante da embarcação, precisou ser retirado com o auxílio de um bote salva vidas. Eles foram atendidos por servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e passam bem. “O mais importante é que nenhum dos tripulantes sofreu ferimentos e não houve vazamento de óleo no mar. A partir de agora, vamos instaurar inquérito para averiguar as causas determinantes do ocorrido”, revelou o capitão de Corveta, Darcy da Cunha Dalbon, responsável pela Capitania de Tramandaí.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895