Bares e restaurantes buscam equiparar flexibilização à do comércio em Porto Alegre

Bares e restaurantes buscam equiparar flexibilização à do comércio em Porto Alegre

Setor tentará nova reunião com prefeito Marchezan nesta semana

Correio do Povo

Bares e Restaurantes de Porto Alegre buscam maior flexibilização para reabertura

publicidade

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) espera também conseguir se reunir na próxima semana com o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, com o objetivo de tratar da abertura do setor nos finais de semana. Na manhã deste sábado, a presidente da entidade, Maria Fernanda Tartoni, disse à reportagem do Correio do Povo que o segmento quer a mesma atenção obtida pelo comércio lojista que vai se reunir na terça-feira para articular junto ao prefeito a possibilidade de funcionamento nos sábados. “A gente ainda não marcou uma reunião com a prefeitura”, frisou. Atualmente os estabelecimentos estão autorizados apenas de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h, enquanto nos finais de semana somente pode ter tele entrega e sistema pague e leve. Os restaurantes de shoppings têm o horário das 12h às 19h. 

Maria Fernanda Tartoni constatou que todo o setor de bares e restaurantes na Capital está colaborando nas medidas de prevenção à pandemia do novo coronavírus, como uso de máscara e álcool gel, restrição de público, higienização do ambiente, equipamentos e utensílios domésticos, limpeza constante, buffet servido por funcionários, treinamento de empregados e mesas distantes. “Existe uma nova maneira de servir. No meu restaurante, o cliente chegava e já estava na mesa o jogo americano, talheres, pratinho de couvert, guardanapo de pano e azeite de oliva”, contou. “Agora não têm nada. O cliente chega e a mesa está vazia. A gente serve na hora. Depois tudo que sai é higienizado”, acrescentou. Ela citou como exemplo que os talheres limpos são acondicionados em saquinhos e os guardanapos são de papel. “Qualquer coisa de toque existe a possibilidade de contágio, então quanto mais segurança melhor”, ressaltou. “Quem não está adequado, está se adequando. Na verdade é uma força-tarefa para fazer funcionar. Estamos muito tempo fechado e o desespero bateu. O pessoal está fazendo de tudo para voltar a operar”, concluiu. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895