capa

Bombeiros de Minas Gerais ganham reforço e ampliam busca em Brumadinho

Após vários estados enviarem tropas e equipamentos, Corporação aumentou varredura no local da tragédia

Por
R7

Bombeiros concentrarão trabalho no local em que foi encontrado o refeitório da mineradora e onde foram localizados dois ônibus

publicidade

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais segue com as buscas pelas vítimas de Brumadinho, nesta quarta-feira, após o rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Vale na última sexta-feira. Com a chegada de reforços de outros estados brasileiros, as buscas serão realizadas em todos os locais atingidos pelo mar de lama. De acordo com informações da corporação, 320 bombeiros trabalham neste sexto dia de buscas. Os bombeiros concentrarão trabalho no local em que foi encontrado o refeitório da mineradora e onde foram localizados dois ônibus.

Até o momento, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros divulgaram que o rompimento da barragem da Vale resultou em 84 mortes e 276 pessoas desaparecidas. Os bombeiros resgataram um total de 192 pessoas e 391 vítimas foram localizadas.

• Leia mais sobre o desastre ambiental em Brumadinho

Para a família das vítimas fatais, a Polícia Civil montou uma força-tarefa para agilizar o processo de identificação dos corpos. Foi criado um cartório em conjunto com a Justiça no IML (Instituto Médico Legal).

As famílias são encaminhadas para o IML após o reconhecimento dos corpos para fazer o atestado de óbito. O material genético dos familiares é colhido por meio da saliva. De acordo com informações da Record TV, o teste de DNA demora 30 dias para ficar pronto. Porém, com a força-tarefa da Polícia Civil, o resultado fica pronto em até sete dias para agilizar o processo de liberação de corpos.

• Sobreviventes relatam como se salvaram de enxurrada de lama em Brumadinho

A orientação é para que as famílias das vítimas não esperem em frente ao IML para não aumentar o sofrimento provocado pelo rompimento da barragem. A última vítima encontrada com vida foi no sábado e as buscas continuam a todo vapor.

Por volta das 10h desta quarta-feira Sérgio Leite, porta-voz da Vale, falou sobre os R$ 100 mil destinados às vítimas. Segundo ele, é uma “doação” da mineradora e não é uma indenização. “Pretendemos estabelecer uma rotina acompanhando as evoluções, desdobramentos e dar a satisfação necessária aqui”, disse. “Gostaria de focar na doação dos R$ 100 mil. Essa doação é para o público registrado na lista de 28 de janeiro. Procuramos organizar uma força bastante criteriosa. São dois postos de atendimento, com um calendário de atendimento. Essa operação deve se iniciar amanhã e vai até o dia 5. Esses postos funcionam das 8h às 18h”, completou ele.

Leite ainda garantiu que os R$ 100 mil vão para todas as vítimas. “Todas as pessoas atingidas vão receber: funcionários e as pessoas da comunidade.” De acordo com ele, depois dos critérios seguidos, o dinheiro vai cair na conta em três dias.