Bombeiros se despedem de colegas mortos em incêndio na SSP, em Porto Alegre

Bombeiros se despedem de colegas mortos em incêndio na SSP, em Porto Alegre

Após velório e homenagens, corpos de agentes foram levados em cortejos até o crematório

Correio do Povo

Corpos de bombeiros seguem para cremação, em Porto Alegre

publicidade

Com informações do repórter Eduardo Andrejew 

Os dois soldados mortos durante o combate ao incêndio no prédio da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado receberam as últimas homenagens, no fim da tarde desta quinta-feira, em Porto Alegre. Parentes, amigos e colegas estiveram presentes na sede do 1º Batalhão de Bombeiro Militar, onde ocorreu o velório do 1º tenente Deroci de Almeida Costa e do 2º sargento Lucio Ubirajara de Freitas, cujo os corpos foram encontrados na noite dessa quarta-feira, na sede da SSP, após uma semana de bucas entre os escombros

A missa em homenagem aos bombeiros contou com uma salva de palmas no encerramento, além de honras militares. No momento em que os caixões foram colocados no caminhão do cortejo, pouco antes das 17h, novamente, foram homenageados com palmas das pessoas que estavam presentes no local. Mais cedo, quando as pessoas chegaram ao velório, alguns carros que passam em frente ao quartel buzinaram para saudar os dois bombeiros. 

"Nossos irmãos estão aqui"

Após o velório, os corpos dos dois bombeiros foram encaminhado ao Crematório Martinho Lutero em um cortejo, que contou com um grande número de participantes, que seguiram o caminhão dos Bombeiros até o local. No carro onde os dois soldados eram conduzidos era visível a emoção dos companheiros, assim como sinais de exaustão pelos dias de busca e de muita tristeza também.

O som da sirene ligada durante o trajeto do cortejo despertou atenção de muitas pessoas nas calçadas. Alguns contemplavam em silêncio, outros aplaudiam. Também muitas pessoas se comoviam e choravam durante a passagem dos veículos.

Na chegada, na Rua Guilherme Schell, em frente à entrada do Cemitério Parque Martim Lutero, os bombeiros retiraram com todo cuidado os esquifes. “Cuidado, os nossos irmãos estão aqui “, disse um deles.

Depois de conduzir os caixões ao pátio do cemitério, lá dentro o grupo de bombeiros fez um abraço coletivo para prestar a homenagem final aos dois colegas mortos. Depois disso, os portões fecharam para as homenagens finais e cremação. A cerimônia foi reservada apenas aos familiares das vítimas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895