Brasil tem "zero" chance de fechamento nacional para frear a Covid-19

Brasil tem "zero" chance de fechamento nacional para frear a Covid-19

Segundo informações apuradas pelo Portal R7, a palavra "lockdown" não foi citada no encontro entre os poderes

R7

O encontro foi organizado pelo articulação política do Governo, comandada pelo Ministro Luiz Eduardo Ramos

publicidade

Depois de reunião com a presença dos chefes de outros poderes, presidente Jair Bolsonaro, continua a descartar fechamento de atividades em todo o país

Os relatos de quem participou da reunião com os representantes de todos os poderes nesta quarta-feira é de que o clima foi de preocupação com a pandemia, mas sem ruídos entre os presentes.

Logo no início, houve uma abertura do Presidente Bolsonaro que adotou o tom  de conciliação na presença de outros chefes de poderes, segundo um dos relatos, "foi a primeira vez que isso ocorreu no Governo."

O encontro foi organizado pelo articulação política do Governo, comandada pelo Ministro Luiz Eduardo Ramos. Foram duas semanas de tratativas até que ocorresse a reunião que chegou a ficar ameaçada, após o Presidente Jair Bolsonaro, entrar no STF, com ação contra medidas de isolamento adotadas pelos Governadores do Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul.

Havia a apreensão de que o clima pudesse esquentar durante a reunião já que havia as presenças de Governadores como Ronaldo Caiado de Goiás e Renan Filho, de Alagoas.

As informações dos presentes é de que em duas horas e quarenta de reunião, a palavra "lockdown" não foi citada. Isso demonstra que não passam de rumores, as informações de  que poderia ser articulado um lockdown nacional. O presidente Jair Bolsonaro, é contra um fechamento nacional e disse a interlocutores, ser "zero" a chance de aderir a um fechamento em todo o país.

Ficou definido que iriam que o Comitê, vai observar quais são os serviços essências, para que quando necessário, seja feito um "isolamento responsável", ideia que foi levada pelo Presidente do Senado Rodrigo Pacheco.

Durante a reunião, o Presidente da Câmara, Arthur Lira, falou para o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga que agora será necessário "correr uma maratona no ritmo de cem metros". Uma referência a necessidade de imunizar a população rapidamente. Lira também falou com o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, da importância da busca pela vacina em todos os países e ter diálogo forte com a Índia e China que são dois grandes produtores de imunizantes.

Ficou acertado que o Conselho vai se reunir toda semana, que as áreas de saúde das forças de segurança (Exército, Aeronáutica, Polícias Militares e Bombeieros) vão atuar nos finais de semana para reforçar a imunização da população e aumentar o controle e fiscalização do plano de vacinação, as autoridades querem saber se as vacinas destinadas aos municípios, estão sendo devidamente utilizadas.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895