Brasileiras são as que mais fazem os afazeres domésticos, diz IBGE
capa

Brasileiras são as que mais fazem os afazeres domésticos, diz IBGE

Homens só se destacam nos serviços de pequenos reparos ou manutenção da casa

Por
Henrique Massaro

Mulheres são as que mais fazem os afazeres domésticos no país

publicidade

As mulheres brasileiras ainda são maioria na comparação com os homens em afazeres domésticos como cozinhar e lavar roupas e calçados. Na divisão por domicílios, 95,5% das mulheres se ocupa de preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar a louça e 90,9% limpa e faz manutenção de roupas, tarefas que fazem parte das rotinas de, respectivamente, 60,8% e 54% dos homens. Os dados, referentes a 2018, levam em conta pessoas de 14 anos ou mais e integram a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD), divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE.

• Trabalho voluntário é realizado por apenas 4,3% dos brasileiros, diz IBGE

O estudo mostrou, no entanto, que afazeres como pequenos reparos ou manutenção da casa, do automóvel e de eletrodoméstico ainda têm maior concentração no público masculino. Conforme o IBGE, 59,2% dos homens se ocupa desse tipo de atividade em comparação a 30,6% das mulheres. Este foi único item da pesquisa no qual o percentual feminino ficou abaixo. Apesar disso, os outros pontos contemplados não tiveram uma diferença tão considerável: limpeza e arrumação do domicílio, da garagem e do jardim (82,2% contra 68,3%), organização da residência como pagamento de contas e contratação de serviços (72,9% contra 71,4%), comprar e pesquisar preços de bens (77,1% contra 72%) e cuidar dos animais domésticos (46,9% contra 43%).

As diferenças diminuem na separação por condições dos domicílios. Quando comparados apenas lares em que há um único responsável, os homens se aproximam na realização de afazeres domésticos: 92,7% deles se ocupa de preparar ou servir a comida, arrumar a mesa e lavar a louça, atividades feitas por 97,1% das mulheres responsáveis pela casa. Na limpeza e manutenção de roupas e sapados, o percentual fica ainda mais próximo: 88,6% e 92,3%. Na limpeza da casa e do jardim, o percentual masculino chega, inclusive, a superar, ainda que em apenas um ponto, o feminino: 85,7% e 84,7%. Já nos reparos e manutenção, a taxa se mantêm quase intacta: 62,7% dos homens e 33,9% das mulheres.

A discrepância da ocupação das mulheres nos afazeres domésticos com relação aos homens se dá mais nas divisões por relações conjugais. Nestas, o público feminino realiza 97,9% das tarefas relacionadas à cozinha e 94,4% das que dizem respeito à limpeza e manutenção de roupas, enquanto que os percentuais masculinos, nesses casos, ficam em 57,1% e 49,5%. Ainda que com menores diferenças, elas também são maioria na limpeza e arrumação do domicílio (85,1% contra 66,%). Nos reparos e manutenções, a comparação é semelhante à de outras divisões: 66,7% dos homens e 31,4% das mulheres.

Apesar de o percentual de mulheres a realizarem afazeres domésticos ser maior em seu próprio domicílio ou no de algum parente (92,2% contra 78,2%), ocorreu uma diminuição dessa diferença na comparação com o ano anterior. Em 2018, os homens tiveram um aumento de 1,8 ponto percentuais, enquanto o das mulheres foi de 0,5. De maneira geral, a pesquisa teve um acréscimo de 3,3 milhões de pessoas realizando tarefas domésticas, chegando a um público de 145,1 milhões (85,6% do público). Na divisão por regiões, a Centro-Oeste foi a que teve o maior percentual na realização dos afazeres, com 88,6%. A Região Sul ficou com 88,3%, mas teve a menor discrepância por sexo entre as regiões, com 10,1 pontos percentuais.