Carroceiros protestem em frente à prefeitura

Carroceiros protestem em frente à prefeitura

Restrição de circulação atinge 17 regiões da Capital

Por
Correio do Povo

publicidade

Um grupo de carroceiros e carrinheiros protestou nesta segunda-feira em frente ao Paço Municipal para expressar sua inconformidade e temor pela perda do trabalho com o início da restrição de circulação pa este tipo de transporte na Capital. Os trabalhadores com veículos de tração animal (VTAs) e de tração humana (VTHs) se reuniram na Avenida Ipiranga e trafegaram até a prefeitura. A medida entrou em vigor no domingo e atende a lei que deve ser implementada até 2016. Após o protesto, o grupo foi recebido pelo secretário adjunto de Governança Local, Carlos Siegle, e pelo coordenador do Programa Todos Somos, Fernando Mello.

“A lei prevê a retirada de circulação de carroças e carrinhos na cidade, mas o programa está aí para oferecer capacitação e colocação no mercado de trabalho”, defendeu Siegle.

A restrição de circulação de VTAs e VTHs teve início neste domingo em sete das 17 regiões administrativas de Porto Alegre: Centro-Sul, Cristal, Cruzeiro, Glória, Lomba do Pinheiro, Partenon e Sul. A adesão ao programa Todos Somos Porto Alegre possibilita que os condutores dos veículos tenham nova oportunidade profissional, além de receber indenização pela carroça, carrinho e cavalo entregue ao programa. Carroças e carrinhos serão destinados à reciclagem. Os cavalos terão doação encaminhada pela Secretaria Especial dos Direitos dos Animais (Seda).

O programa prevê a qualificação profissional dos trabalhadores e da atividade das unidades de triagem de resíduos sólidos. Para aqueles que desejam migrar para outras áreas de atuação profissional, o programa oferece cursos de formação (com a concessão de bolsa de estudo) e apoio para conquista de emprego com carteira assinada.

Conforme a prefeitura, mais de 300 carroceiros e carrinheiros estão cadastrados no programa nas regiões nas quais haverá a restrição. Estima-se que o universo total desses trabalhadores nas sete regiões seja cerca de 400 pessoas. Em Porto Alegre, o programa deverá beneficiar 1,8 mil famílias de carroceiros, catadores, carrinheiros e de outros profissionais vinculados a unidades de triagem. O programa tem financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Braskem.

Bookmark and Share