Casamento coletivo reúne mais de 13 mil casais no Brasil e em 68 países
capa

Casamento coletivo reúne mais de 13 mil casais no Brasil e em 68 países

Cerimônia realizada pela Universal ocorreu de Norte a Sul no país

Por
Correio do Povo

Em Porto Alegre, a celebração ocorreu na Catedral da Fé e teve a condução do bispo Guaracy Santos

publicidade

Foram 13 mil casamentos realizados nesta quinta-feira no Brasil e em 68 países, como Angola, Moçambique, Japão, Estados Unidos, entre outros. Foi o maior casamento coletivo já promovido no país. Diversas cidades no Brasil realizaram a cerimônia, entre elas Belo Horizonte, Belém, Vitória e Rio de Janeiro. Em São Paulo, a cerimônia aconteceu no Templo de Salomão. Uma fila imensa reuniu casais para a tão esperada celebração que teve início às 19h30min.

Em Porto Alegre, o casamento coletivo ocorreu na Catedral da Fé, na avenida Júlio de Castilhos, em diversas localidades e também nas principais cidades, como Caxias do Sul, Gramado, Santa Maria, Uruguaiana, Pelotas, Bagé, Passo Fundo, Canoas, Gravataí, Alvorada, entre outras, de acordo com o pastor Assuéro Benjamim. Ele salientou que a celebração foi conduzida por ele e pelo bispo Guaracy Santos, que enfatizou a importância do casamento na vida das pessoas e dos gaúchos. “A família se inicia através do casamento”, observou o bispo.

O pastor Assuéro explicou a importância do casamento e do aprendizado sobre o “amor inteligente”. Com isso, lembrou que todas as quintas-feiras acontecem reuniões às 6h30min, às 8h, às 12h, às 15h e especialmente às 19h30min, em que os participantes aprendem os principais fatores sobre o casamento. “Nos encontros, aprendemos o que faz o casal ser duradouro é o amor inteligente. E esse amor não é a maneira que muitos aprendem. Da mesma forma que no trabalho, aprendemos pela inteligência, pela razão e não pela emoção. Só encontramos na vida amorosa, no casamento a felicidade, quando nos mantemos por meio do amor divino que vem de Deus”, explicou.

Para Alessandra e Alexsandro Santos, a cerimônia foi um momento duplamente especial. Eles oficializaram o relacionamento de 27 anos e viram o filho se casar. “Através do nosso filho, pensamos que estamos seguindo Deus. A gente quer uma vida digna diante de Deus”, destacou Alexsandro dos Santos. Eles celebraram a união na Catedral da Fé. No RS, aconteceram cerca de 600 casamentos.

Templo de Salomão reuniu noivos

Em São Paulo, a cerimônia do casamento coletivo ocorreu no Templo de Salomão. A solenidade foi conduzida por Renato e Cristiane Cardoso, apresentadores da Escola do Amor. Junto com eles, o professor da Escola, Carlos Cucato, lembrou que a força de um casal se faz no dia a dia. “É o diálogo, o respeito, a cumplicidade, o afeto. São valores e princípios que a pessoa não pode abrir mão para fazer com que o casamento dê certo”, ensinou Cucato.


Uma fila imensa em frente ao Templo de Salomão aguardava o tão esperado momento da união - Foto: Demétrio Koch / Universal / Divulgação / CP
 

O casal Marco e Cristina esperou sete anos para esse momento. E tudo ocorreu como sempre sonharam. “Está sendo mágico, único”, disse Cristina. E o noivo complementou: “Eu me emociono sempre”, destacou Marcos Almeida Coelho. A emoção foi compartilhada com dezenas de casais, em um salão lotado, com desfiles de buquês, vestidos, trajes e uma recepção especial para padrinhos e noivos. Entre eles, a Suelen e o Norberto, estavam radiantes. Os noivos moram no Japão há mais de dez anos e aproveitaram as férias para o casamento religioso. Ela fez questão que fosse no Brasil. “A gente poderia ter casado no Japão, em Campinas, mas eu queria no templo, pela santidade, pelo lugar”, salientou Suelen Itikawa.

A cerimônia entrou para a história como o maior casamento coletivo já realizado no Brasil. Os números contrastam com as estatísticas do IBGE. Nos últimos dez anos, os divórcios cresceram 160% no Brasil, mas na quinta-feira foram 10.784 casamentos, no Brasil e 2.861, no Exterior.

Dentro do Templo, a grandeza era marcada também por palavras que tocavam o coração de todos os casais. “Quando nós sacrificamos a parte de nós que não deixava haver um encaixe, uma união, então, ali nós começamos a nos tornar uma só carne”, salientou Renato Cardoso.


Na África do Sul, também foram realizadas as solenidades - Foto: IURD / Divulgação / CP