Casos de Covid-19 avançam no Litoral Norte, mas ainda não impactam hospitais

Casos de Covid-19 avançam no Litoral Norte, mas ainda não impactam hospitais

Foi observada a maior taxa de incidência de casos nos últimos oito dias, com pico de 159,2 casos por 100 mil habitantes na quarta-feira

Gabriel Guedes

publicidade

Pelo menos nesta quinta-feira, o Litoral Norte ainda permanecia de fora da lista de regiões em alerta pelo sistema 3As de Monitoramento, do Governo do Estado. Mas apesar do número de casos seguir aumentado, embora em menor velocidade em relação à primeira quinzena de maio, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva entre os sete hospitais da região cresceu 22%. Foi observada também a maior taxa de incidência de casos nos últimos oito dias, com pico de 159,2 casos por 100 mil habitantes no dia 2.

No dia 1º, a região também apresentou a maior ocupação desde 20 de abril nas UTIs, com 81 pacientes para 106 leitos, considerando aqueles com suspeita e os com diagnóstico confirmado da doença. Apenas a taxa de incidência de óbitos se manteve em queda.

Hoje houve uma pequena oscilação para baixo destes números. A taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 75,5%, com 77 ocupados e 52 pacientes utilizando respiradores. Dos 77, 19 não possuem Covid-19, 11 estão com suspeita da doença e outros 47 são confirmados para o vírus. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), houve um aumento de 22% nas internações em UTI nos últimos sete dias. Já em relação aos 131 leitos de enfermaria disponibilizados aos pacientes com Covid-19, apenas 27 estão ocupados.

Entre os sete hospitais, a situação mais preocupante é em Torres. A UTI do Nossa Senhora dos Navegantes está com todos os 10 leitos ocupados, com sete por Covid-19 e outros três sem relação à doença. No Hospital Tramandaí, a proporção de infectados com a doença também é alta. São 36 leitos de UTI, 31 estão ocupados, sendo três pessoas com a suspeita e 19 casos confirmados, número que corresponde a 61,3% das internações.

No Santa Luzia, em Capão da Canoa, ainda há sete leitos livres entre os 20 disponibilizados, mas há apenas sete pacientes com Covid-19 e nenhum com suspeita da doença. No São Vicente de Paulo, em Osório, situação semelhante. A instituição tem 30 leitos disponíveis e 50% está ocupado. Dos 15 internados, oito estão com suspeita de Covid-19 e sete já estão com o diagnóstico confirmado.

Conforme dados do painel Covid-19 no Litoral Norte RS, do campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na região, Capão da Canoa teve 28% de aumento de casos entre os dias 11 e 31 de maio. No mesmo período Imbé apresentou 39%, Mostardas teve 178% e Osório, 53%. Ao todo, a região acumula 45.612 casos confirmados de Covid-19 e 2.653 óbitos, conforme a SES.

O presidente da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte) e prefeito de Itati, Flori Werb, foi procurado pela reportagem, mas até o seu fechamento, não havia respondido aos contatos para comentar a situação. A região recebeu um aviso do sistema 3As no dia 22 de maio, orientando que os municípios redobrassem a atenção com a retomada do agravamento da pandemia, apontando que a região apresentava crescimento da incidência de casos confirmados para cada 100 mil hab. de 140,8 em 15 de maior para 220,9 no dia 21 de maio.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895