Causa de mau odor no Litoral Norte é identificada

Causa de mau odor no Litoral Norte é identificada

Caminhão-tanque com produto agrícola estava em propriedade rural em Tramandaí

Taís Teixeira

publicidade

O motivo do mau odor relatado pelos moradores de Tramandaí ,e de outras praias do Litoral Norte, foi identificado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) em uma ação conjunta com  Patrulha Ambiental (Patram) de Tramandaí,  na manhã de terça-feira (06).  Foi localizado um caminhão-tanque com 405 mil litros de fertilizante líquido para pastagem agrícola. O produto estava sendo aplicado  em 110  hectares ocupados com pasto em uma propriedade rural de 400 hectares, localizada em Cidreira, divida com Tramandaí. O comandante do 1º Batalhão Ambientam da Brigada Militar, capitão Rogério Silva dos Santos, disse que o produto é fabricado por uma empresa gaúcha. “ A compra foi feita por meio de nota fiscal, o que demonstra que se trata de um produto legalizado”, afirma.

Segundo nota da Fepam, o uso de fertilizantes não requer autorização de acordo com a legislação vigente, todavia, pelo ocorrido, a aplicação no local foi suspensa. O texto ainda diz que “a Fepam tomará as medidas cabíveis em relação ao empreendimento que fabrica o produto, portanto responsável pela destinação do resíduo”.

O chefe da Divisão de Defesa Agropecuária do  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Rio Grande do Sul, Jairo Carbonari,  disse que a Fepam comunicou a ocorrência e indicou a fabricante do produto. “ Tanto a empresa que foi apontada pela Fepam como o fertilizante, estão registrados no Ministério”, enfatiza. Carbonari reforça que o produto é novo no mercado, feito à base de resíduos orgânicos, e que foi registrado em 2020,o que significa que deve estar, no máximo, há um ano à venda.   A próxima etapa é fiscalizar in loco a empresa. “ Vamos verificar a origem das matérias-primas, se estão sendo cumpridos os protocolos declarados, se as análises comprovam a quantidade de nutrientes e ausência de contaminantes, além de outros parâmetros de avaliação”, descreve. 

Porém, o gestor destaca que se for constatada a qualidade do produto, a aplicação equivocada pode ser a causadora desse mau cheiro. “É  preciso seguir as recomendações de quem vendeu porque uma aplicação excessiva ou errada pode gerar esse tipo de problema”, alerta.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895